Agronegócio

Controle biológico ajuda a estabilizar qualidade de cana em Pindorama


Fonte: Assessoria

08/02/2018 10h00

Um método popular e eficaz na cultura da cana para controle de pragas , o controle biológico, por meio de criação de um organismo vivo para combater outro organismo que esteja  causando  danos no desenvolvimento do plantio, tem solucionado ameaça de manifestação daDiatrea saccharalis, uma largata mais conhecida como 'broca' da cana-de-açúcar.

Ecologicamente correto e de baixo custo, o combate à largarta, com a produção em laboratório da vespa Cotesia flavipes  é alternativa mais eficiente pelo  fato  de a largata  penetrar a parte interna da cana,  dificultando o controle químico da broca após sua entrada.

“São prejuízos diretos e indiretos quando detectamos  a podridão vermelha causada pela  broca. Isso leva a perda de peso, mau desenvolvimento e morte de algumas plantas. Um quadro irreversível”, conta o agrônomo e técnico da Pindorama, Danilo Ferreira.

Na Cooperativa Pindorama, milhares de vespas são produzidas por dia, em um laboratório especialista no desenvolvimento e crescimento da vespa. O processo é completo, da confirmação do ovos à liberação da vespa no canavial. “Viabilizamos e conduzimos adaptação do ovos da Cotesia, dieta, crescimento e  maturação. O desenvolvimento acontece em cerca de 15 dias, passa por uma fase de inoculação e  a partir disso as largartas estão prontas para serem inoculadas pelo parasito”,  explica Gilberto Silva, sócio-gerente da Probio, empresa que sediou seus trabalho de laboratório na Pindorama.

Em forma de vespinha, o produtor adquire copinhos com cerca de 1500 indivíduos multiplicados da Cotesia, podendo até abrigar 6 mil vespas por prontas para cobrir a área do problema. A penetração, segundo Gilberto, é automática e um hectare pode ser coberto por seis copos : “a Cotesia consegue localizar as lagartas por meio do odor liberado pelas fezes no interior do colmo da cana parasitando-as em seguida”. Cada copo com a vespinha é comercializado a R$15,00.

A cada época de plantio, a Pindorama redobra seus cuidados com  a broca da cana-de-açúcar. Segundo informações da equipe técnica, a aplicação  da  vespa tem melhorado em 90% a taxa de controle da broca na região. O colono Cícero Luiz, produtor de 7,5 toneladas de cana, é um dos que já adotaram o controle para combater a praga. “Hoje a gente fica mais tranquilo em saber que temos esse trabalho em caso de ameaça. É um problema muito sério, que pode comprometer o canavial e a qualidade da cana que vai para usina”, conta o produtor que já utilizou cerca 300 copinhos para cana planta e socaria. 



Compartilhe