Agronegócio

A importância do consumo e produção leiteira em AL


Fonte: Assessoria

31/05/2018 16h29

Insubstituível, completo em nutrientes e proteína para economia. O leite é parte vital do sistema alimentar  e sua produção representa 40% do valor do rendimento global agrícola  com aproximadamente um bilhão de pessoas tirando seu sustento do setor de lácteos.

No Dia Mundial do Leite, comemorado na passagem do 1º de junho, com objetivo de lembrar que o leite é o único alimento que acompanha o homem a vida inteira, entidades reforçam o movimento “Beba mais leite”.

“Leite é segurança alimentar. É um das matérias-primas mais versáteis que se tem informação, sendo um dos mais completos em nutrientes”, diz o presidente da Cooperativa de Produção Leiteira de Alagoas (CPLA), Aldemar Monteiro, entidade que possui 72 associações reunidas em seu quadro.
No âmbito da produção, a CPLA confirma que a produção obteve significativo avanço, nas diversas categorias, do agricultor familiar ao grande produtor.

“Há registro de animais produzindo mais de 100 litros por dia. Isso é fruto dos investimentos e grande aposta no setor assim como o fortalecimento da agroindústria do leite”, informou.

Além da  proteção alimentar com os diversos nutrientes, contendo cálcio, proteínas e minerais entre outros componentes nutricionais relevantes, por trás do leite se encontra o faturamento de 27 bilhões, por ano, em todo o mundo, segundo a Confederação Nacional da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA) de 34,9 bilhões de litros em 2017, no país, tendo o preço médio de R$1,32. 

Representando a segunda maior força do setor produtivo de Alagoas, a cadeia produtiva do leite é democrática e a produtividade animal também cresce na agricultura familiar. Uma dos incentivos encontrados pelo pequeno produtor é o Programa do Leite, que absorve 80 mil litros por dia.

“São milhares de famílias que encontraram uma oportunidade de trabalho com o incentivo do Programa. O leite, legitimado pelo programa, permitiu que os produtores esquecidos no sertão do estado, ganhassem voz e autonomia para trabalhar com o leite. O leite é um alimento fantástico”, completou Monteiro.

Tudo de bom

O leite também é tudo de bom. Sinônimo de segurança alimentar, na esteira do Programa do Leite, a matéria-prima recebe tratos nos laticínios, e todos os dias é fonte de nutrição para 80 mil famílias em situação de risco nutricional.

O leite também passou a ser alimento estratégico para outras centenas de novos produtores numa região de pouca tradição produtiva em Alagoas, a região sul do estado. Na Cooperativa Pindorama, o leite ensinou agricultores familiares a não só ordenhar a vaca, como também apresentou alternativas de diversificação das atividades.

De acordo com o presidente da Cooperativa Pindorama, Klécio Santos,  a  unidade, que também integra o Programa do leite, possui a produção de 10 litros/dia, por produtor. “Em diversos preparos alimentícios se encontra o leite. Sua evolução na produção se encaminha para uma pecuária cada vez mais inteligente, com disponibilidade de tecnologia e manejo técnico”, conta.

Apesar do peso econômico do setor, na avaliação de Santos, ainda é preciso maior reconhecimento. “Que possamos refletir, com a passagem do Dia Mundial do Leite, sobre a valorização para escoação da produção e incentivo ao consumo, bem como dos derivados fabricados no país. Por vezes, o setor é penalizado por falta de valorização”, comentou Klécio.

 


 



Compartilhe