Agronegócio

Renan Calheiros recebe setor produtivo para discutir programa do leite


Fonte: Da redação com assessoria

19/07/2018 19h28

Reunidos nesta quinta-feira (19) o setor produtivo rural alagoano esteve com o senador Renan Calheiros para discutir a continuidade do programa do leite no estado. Estiveram presentes no encontro representantes da Federação da Agricultura e Pecuária de Alagoas (Faeal), Federação dos Trabalhadores Rurais, Agricultores e Agricultoras Familiares de Alagoas (Fetag), da Cooperativa Pindorama, da Cooperativa de Produção Leiteira de Alagoas (CPLA) e das cooperativas Aagra, Coopaz e Cafisa.

De acordo com o presidente da Faeal, Álvaro Almeida, as cooperativas que operam o programa no estado estão reunidas buscando alternativas para manter o programa vivo em Alagoas. “Esse programa tem uma importância social e econômica muito grande, que mantém milhares de famílias. Estivemos reunidos com o senador Renan Calheiros, que sempre nos ajudou com as preocupações do setor, para apresentar as dificuldades e buscar conselhos. Temos na programação, agora, que nos reunir com o governador”, afirmou Almeida.

O grupo levou a demanda  documentada, com todos os impactos e pleitos para aporte de recursos visando o funcionamento do programa pelo menos até março de 2019. Para isso, são necessários o aporte de R$ 20 milhões. Entre as saídas estão uma possível antecipação da contrapartida por parte do governador Renan Filho.

O senador Renan Calheiros apoia a ideia de conversar com  Renan Filho e explicou que o governo federal já vem acabando com o programa do leite em outros estados. “Em 2002, trouxemos o modelo do programa do Rio Grande do Norte para Alagoas. Aqui ele foi melhorado. O governo federal vem contingenciando recursos e aqui no estado é onde ainda se opera o programa do leite”, ressaltou o senador.

Para o presidente da Faeal, o momento político nacional é de incertezas. “Essa dificuldade de recursos através do governo federal é de conhecimento de todos. Essa incerteza no amanhã e insatisfação existe. Por enquanto, estamos tentando que o governador consiga manter o programa até janeiro, para a entrada do próximo governo no país”, atentou.  

Em Pindorama, explicou o presidente da cooperativa Klécio Santos, cerca de 90% dos pequenos produtores realizam a pecuária de leite e participam do programa. "A importância que tem na vida dessas pessoas é muito grande. Não pode deixar de existir e precisa ser cada vez mais forte. Estamos preocupados com o governo federal de reduzir esses recursos  como tá colocado apelar par ao governo estadual dar um  suporte", concluiu. 

 



Compartilhe