Blog sobre o setor rural de Alagoas

Projeto social da CPLA propõe melhorias para vida de agricultores familiares


AL Rural

18/06/2018 15h31

Muito além do atendimento e organização da produção leiteira de 72 associações no interior de Alagoas, a Cooperativa de Produção Leiteira de Alagoas (CPLA) passa a  propiciar atenção social para as famílias de seus associados com ações itinerantes nas comunidades.

Todo mês, com o auxilio de parceiros e prefeituras municipais, equipes de saúde e atendimento cidadão desembarcam nas comunidades para prestar serviços de manutenção de documentos, testes de saúde e capacitação. São quase 20 serviços prestados durante a maratona de  atendimentos, sendo   testes de visão, glicemia, verificação da pressão arterial, consultas odontológicas e  outros.

A proposta da cooperativa é assegurar a manutenção da vida no campo com ações consideradas pontuais para o desenvolvimento da cultura responsiva.  “A CPLA tem buscado instrumentos para dignificar e promover a sustentabilidade do agricultor familiar para além da orientação técnica. Acreditamos que todas as arestas precisam estar equilibradas para que as famílias sejam produtivas e lutem juntas”,  explica o presidente da CPLA.

Além de levar ações imediatas, a cooperativa deseja, segundo Monteiro,  com as intervenções nas comunidades, promover bem estar em todas os setores  da vida dos produtores. “Hoje viver no campo não é mais sinônimo de atraso. Esse projeto  chega justamente para orientar ao produtor a manter seus documentos legalizados e a zelar por sua saúde, harmonizando sua vida e seu trabalho”, comentou Aldemar.

Ação

A primeira ação social da CPLA no mês de junho  acontece na próxima terça-feira, 19,no município de Traipu, Agreste alagoano.  A equipe itinerante desembarca no Povoado Piranhas, onde mora mais de 600 pessoas. 

O dia na comunidade contará com atendimento odontológico, oftalmológico,  testes de saúde, palestras e  coleta de dados para habilitação de documentos como RG, Certidão de Nascimento e CPF.  Outras duas comunidades,  Pau Ferro e Caititu, em municípios do Sertão foram atendidas na fase inicial do projeto. 



Compartilhe
comentários