AGRONEGÓCIO

Queda de preço do açúcar reflete negativamente


Dorgival Junior

09/02/2017 15h03

Após uma sequência de meses de alta, a variação negativa do ATR em janeiro foi reflexo de uma queda no preço do açúcar VHP no mercado internacional.

“Com isso, este cenário de quebra de preço resultou numa variação negativa de - 7,3% no valor do ATR deste mês em comparação a dezembro”, declarou o presidente da Associação dos Plantadores de Cana do Estado de Alagoas (Asplana), Edgar Filho.

Segundo ele, diante do comportamento do mercado internacional com relação ao produto, o preço líquido de um quilo de ATR passou de R$ 0,7950 em dezembro para R$ 0,7365 no primeiro mês de 2017.

De acordo com dados do Conselho de Produtores de Cana-de-açúcar e Etanol dos Estados de Alagoas e Sergipe (Consecana-AL/SE) e do Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada/ Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz/ Universidade de São Paulo (CEPEA / ESALQ / USP), o preço do saco de VHP comercializado com o mercado mundial caiu de R$ 73,20 para R$ 63,89. O mesmo também ocorreu com o produto exportado para o mercado americano cujo saco passou de R$ 107,84 para R$ 102,49.

No sentido contrário, o açúcar cristal, que é consumido pelo mercado interno, manteve o preço estável em comparação a dezembro. No último mês de 2016, o saco do produto foi comercializado a R$ 86,47 e em janeiro a R$ 86,28.

A exemplo do que ocorreu com o cristal, o etanol também teve variações mínimas de preço entre os dois meses. O metro cúbico do anidro passou de R$ 2.127,27 para R$ 2.095,74 e o hidratado de R$ 1.803,22 para R$ 1.801,34.

O Consecada-AL/SE informou ainda que o preço médio de um quilo de ATR do mix de produtos da cana em janeiro foi de R$ 1,2564 com acumulado de R$ 1,2972. 

Com isso, o valor líquido da cana padrão em Alagoas (114,09 kg de ATR/t cana) também começou o ano com uma variação negativa passando de R$ 90,7016 para R$ 84,0273 com uma posição acumulada de R$ 86,7540.



Compartilhe
comentários