Geral

Alagoas é um dos estados que menos contrata jovens aprendizes


Redação
Fonte: www.edivaldojunior.com.br

13/01/2018 10h02

Entre janeiro e novembro de 2017 foi registrado em todo o Brasil o ingresso de 369.676 jovens por meio da Aprendizagem Profissional. Resumo preliminar do Ministério do Trabalho aponta que Alagoas foi um dos estados que menos fez esse tipo de contratações no período – tanto proporcionalmente quanto em números reais.

O potencial de contração de Alagoas, segundo o MTE, em 2017, era de 8.303 vagas. No período foram admitidos 2.518 jovens aprendizes, o equivalente a 30,33%. Proporcionalmente (veja tabela), o resultado é o quarto pior, á frente apenas de Maranhão, Piaui e Mato Grosso do Sul e abaixo da média nacional (39,34%). Em números totais, Alagoas foi sexto estado que menos contratou.

O estado que mais contratou, segundo o Ministério do Trabalho foi São Paulo, com 102.300 admitidos, seguido de Minas Gerais, com 39.139, e Rio de Janeiro, com 33.453. No total, o Brasil já registra a contratação de mais de 3,2 milhões de aprendizes desde 2005, quando a lei que prevê essa modalidade de contratação entrou em vigor.

Para piorar o quadro, os números em Alagoas estão declínio. Em 2015, por exemplo, o potencial de contração era de 12,7 mil vagas para 3,6 mil admissões.

Saiba mais sobre a Aprendizagem Profissional

Segundo o Ministério do Trabalho, a Aprendizagem Profissional é uma política pública de caráter permanente, que reúne a qualificação e a inserção em uma única ação.

Ela é determinada pela Lei n. 10.097/2000, que foi regulamentada pelo Decreto n. 5.598/2005, e estabelece a obrigatoriedade de as empresas de médio e grande porte à contratarem aprendizes entre 14 e 24 anos. De acordo com a lei, empresas Públicas, de economia mista e empresas privadas de médio e grande porte tem cotas de contratação que vão de 5% a 15% do total do seu quadro de pessoal.

As entidades qualificadoras são instituições do Sistema S (SENAI; SENAC; SENAT; SENAR; SESCOOP) Escolas Técnicas e Agrotécnicas (Rede Federal e Estadual de Educação Profissional, Cientifica e Tecnológica) e dntidades sem sem fins Lucrativos, que tenham por objetivo a assistência ao adolescente e à educação profissional, registradas no Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente.

Em Alagoas existem ao menos 16 instituições cadastradas no Ministério do Trabalho aptas a participar do Aprendizagem Profissional, que oferecem mais de 50 cursos diferentes.

Veja aqui as instituições instituições qualificadoras alagoas aprendizagem profissional ou faça sua consulta no sitio do ministério:  http://www.juventudeweb.mte.gov.br/indexPesquisaAprendizagemInternet.asp?TPConsulta=2

Conheça neste link mais sobre o programa: http://www.mds.gov.br/webarquivos/publicacao/assistencia_social/Oficina_Socioaprendizagem_Suas/Apresentacao_Ministerio_do_Trabalho_Emprego_1.pdf

Versão oficial

Veja texto do Ministério do Trabalho sobre as contratações do Aprendizagem Profissional:

Brasil contratou mais de 369 mil aprendizes em 2017

Jovens de 14 a 24 anos podem ser admitidos pela modalidade

O mercado de trabalho do país contabilizou o ingresso de 369.676 jovens por meio da Aprendizagem Profissional, entre janeiro e novembro de 2017. De acordo com o resumo preliminar do Ministério do Trabalho, o estado que mais contratou foi São Paulo, com 102.300 admitidos, seguido de Minas Gerais, com 39.139, e Rio de Janeiro, com 33.453. No total, o Brasil já registra a contratação de mais de 3,2 milhões de aprendizes desde 2005, quando a lei que prevê essa modalidade de contratação entrou em vigor.

Segundo o diretor de Políticas de Empregabilidade da pasta, Higino Brito Vieira, o balanço prévio mantém o ritmo de contratação dos anos anteriores, a exemplo de 2016, que fechou com 386 mil admissões. “O Brasil vem tendo um aumento na Aprendizagem Profissional desde a sua criação, mas os números poderiam ser melhores. O potencial de contratações é quase três vezes maior do que o que foi contratado (939.731), mas ainda é um desafio convencer os empregadores de que pode ser vantajoso para as empresas”, explica Vieira. O diretor destaca que a legislação prevê que todas as empresas de médio e grande porte devem manter em seus quadros de funcionários jovens de 14 a 24 anos, na modalidade Aprendiz, com cotas que variam de 5% a 15% por estabelecimento.

Setores e ocupações – Entre os setores que mais contrataram aprendizes em 2017 estão: Comércio, com 93.469 admissões, e Indústria de Transformação, com 92.248. Já sobre as ocupações, as vagas de auxiliar de escritório (147.747) e assistente administrativo (67.341) estão nas primeiras posições no ranking e, juntas, somam a fatia de quase 60% das admissões.

Leia aqui na íntegra:

http://trabalho.gov.br/noticias/5389-brasil-contratou-mais-de-369-mil-aprendizes-em-2017



Compartilhe