Geral

Veículos clandestinos transportam por ano em Maceió mais de 1 milhão de passageiros


Fonte: Ascom Sinturb

03/08/2018 14h47

No primeiro semestre de 2018, o Sindicato das Empresas de Transporte Urbano de Passageiros - Sinturb, registrou 730 veículos com atividade clandestina de transporte passageiros. Os veículos foram flagradas fazendo o transporte irregular de passageiros em diversos bairros da capital. O levantamento foi feito por fiscais do Sinturb durante os seis primeiros meses deste ano. Foi registrado bairro, ponto de ônibus, hora, placa e modelo do veículo. 

De acordo com o levantamento do Sinturb, se os 730 veículos fazem pelo menos uma viagem por dia transportando quatro passageiros, chega-se a números alarmantes: uma média de 3 mil passageiros por dia, 90 mil por mês e mais de 1 milhão por ano. Um número de aproximadamente  3.650.000 milhões de reais. 

“Este é só um cálculo que leva em consideração apenas uma viagem de cada transporte irregular, mas na realidade, através dos nossos registros sabemos que os motoristas fazem diversas viagens. Esse tipo de transporte irregular representa um prejuízo grande para as empresas e também a impossibilidade de garantir novos investimentos. O transporte clandestino é um serviço sem regulamentação, que prejudica diretamente o equilíbrio econômico-financeiro das empresas.”, explica Fernando Paiva, jurídico do Sinturb. 

Ainda de acordo com o jurídico, o clandestino não paga tributos e também não honra com os benefícios tarifários essenciais, como meia tarifa para estudante e gratuidade para idosos e passageiros especiais. 

De acordo com o Sinturb, dos 730 veículos que foram flagrados fazendo o transporte irregular de passageiros em maceió, 20% são de carros comuns de placas cinza, vans complementares representam 30%. O dado mais preocupante, é que o maior registro de clandestino é feito por veículos táxis credenciados pela Prefeitura de Maceió, 50% dos veículos flagradas eram táxis regulares. 

“Em bairros como Bebedouro, Flor do Bairro, Vergel do Lago, Tabuleiro e Ponta verde é possível ver veículos *pequenos ou vans, taxis credenciados e licenciado pela prefeitura, todos fazendo paradas e recolhendo passageiros. E isso acontece de forma diária, alguns já criaram rotas específicas e todos os dias fazem o transporte clandestino.”, afirma Paiva.

Queda de passageiros

O transporte clandestino é uma das principais causas de perda de passageiros, em seis meses de 2018, as empresas já registram a queda de 19%. 

Em dados é possível comprovar a diminuição de passageiros, na época (2014) em que as quatro empresas venceram a licitação, transportava-se em média 6.986.301,83. 

Atualmente a média caiu para 5.650.655,93, uma queda de 19%, a maior queda dos últimos 4 anos. Em 2015 o Sinturb registrou uma queda de 1%, em 2016 passou pra 9% e 2017 um declínio de de 18% acumulados.



Compartilhe