Geral

Ministro da educação garante que não vai ter cortes na CAPES


Fonte: Poder 360

07/08/2018 09h19

O ministro da Educação, Rossieli Soares da Silva, afirmou que o governo federal não vai cortar bolsas de pós-graduação e mestrado em 2019.

“A questão está sendo discutida e o MEC (Ministério da Educação) vai brigar para ter mais recursos sempre. Nós não vamos ter corte de bolsa. Os estudante vão continuar recebendo”, disse.

A Capes (Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior) alertou o órgão sobre a suspensão dos benefícios devido à redução do orçamento. Cerca de 200 mil bolsas de pós-graduação, mestrado e de fomento à iniciação à docência correm risco.

O ministro foi 1 dos convidados do 2º Congresso Internacional de Jornalismo de Educação, que acontece em São Paulo. O evento é promovido pela Jeduca, associação criada por jornalistas que cobrem educação.

FALTA RECURSO E GESTÃO
Rossieli afirmou que a área sofre tanto com a falta quanto com a eficiência da gestão de recursos. Para ele, o Brasil precisa de controle de gastos, mas o corte não pode acontecer na educação.

“O corte não pode ser na educação porque é um fator que pode transformar o país em algo melhor. Assim como uma família não quer cortar na educação dos filhos, está claro que o governo não pode cortar gastos da área”, explica.

PEC DO TETO DOS GASTOS
Questionado sobre a redução orçamentária ser resultado da Emenda Constitucional 95, que impõe 1 teto de gastos públicos, disse que as limitações não passam necessariamente pela educação.

“Não sou técnico para falar com profundidade, mas a PEC do Teto dos Gastos é clara: a educação não é necessariamente atingida. O orçamento da educação deve ser igual ou maior do que do ano anterior”, afirmou.

ANO ELEITORAL
Para o ministro, a educação precisa estar no centro do debate eleitoral. “Precisa ser uma política de Estado”, disse. Ele destacou que para o nível de recursos investidos, os resultados são irrisórios no país.

“Para o tanto que o Brasil arrecada e investe em educação, nosso resultado é muito baixo. Os dados da OCDE [Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico] mostram isso claramente, principalmente na educação básica”, disse.

NOVO ENEM
Rossieli disse que 1 novo modelo do Enem (Exame Nacional do Ensino Médio) poderá ser apresentado até o final de 2018. O novo formato começaria a ser aplicado apenas em 2020. “O Enem precisa mudar, não pode ser o norte do ensino médio”, afirmou.

A mudança depende da aprovação da Base Nacional Comum Curricular do ensino médio. O texto é discutido no CNE (Conselho Nacional de Educação).



Compartilhe