Geral

Município promove ações de prevenção à sífilis


Fonte: Ascom SMS

13/09/2018 09h35

A Secretaria Municipal de Saúde (SMS), por meio da Gerência de Infecções Sexualmente Transmissíveis (IST), Aids e Hepatites Virais, está promovendo a campanha anual de combate à Sífilis. Em 2018, a mobilização conta com o tema “Sífilis, não! Teste, trate e cure”. Nos meses de setembro e outubro serão realizadas diversas ações para conscientizar e divulgar formas de prevenção, com o objetivo de reduzir o número de casos da doença em Maceió.

As atividades foram iniciadas no último dia 10, com a Oficina de Urgências Básicas para as Unidades Básicas de Saúde, com foco em eventos adversos por uso de medicamentos injetáveis, a exemplo da Benzilpenicilina, medicamento utilizado no tratamento de sífilis e outras infecções. A capacitação foi ministrada por profissionais do Samu Maceió e contou com a parceria da Gerência de Atenção de Urgência e Emergência da SMS. Também serão realizadas outras oficinas nos dias 24 de setembro e dias 01 e 08 de outubro.

Segundo a gerente de IST/Aids e HIV, Tereza Carvalho, as oficinas e seminários realizados durante esse período têm como público-alvo os trabalhadores do SUS, tendo como prioridade médicos e enfermeiros. Já os Centros de Testagem e Aconselhamento têm foco nos grupos-chave como jovens, comunidade LGBT+, usuários de álcool e outras drogas e trabalhadores do sexo.

Confira abaixo as ações programadas para a campanha:

29 de setembro: Centro de Testagem e Aconselhamento (CTA) Itinerante no Benedito Bentes. A atividade será nas imediações da feirinha, das 8h às 12h;

04 de outubro: Seminário “Sífilis, não! Teste, trate e cure”. A atividade será no auditório da Uninassau, no Farol, das 8h às 16h30;

11 de outubro: CTA itinerante no Calçadão do Comércio, das 13h30 às 16h30;

20 de outubro: CTA itinerante + Dia D da campanha na Orla Lagunar. A atividade será nas imediações do Caic Virgem dos Pobres, das 8h às 16h.

Sífilis

Causada pela bactéria Treponema pallidum, a sífilis pode ser transmitida por meio de relações sexuais sem preservativos, transfusão de sangue contaminado e da mãe para o bebê durante a gestação e o parto. O período de infecção é de sete dias. A doença pode se manifestar de forma temporária, em três estágios.

Os principais sintomas ocorrem nas duas primeiras fases, período em que é mais contagiosa. O terceiro estágio pode não apresentar sintoma e, por isso, dá a falsa impressão de cura. O uso da camisinha em todas as relações sexuais e o correto acompanhamento durante a gravidez são meios simples, confiáveis e baratos de prevenção.



Compartilhe