Geral

Educação discute identidade étnico-racial nas escolas


Fonte: Assessoria

05/12/2018 17h29

O Núcleo de Estudos sobre a Diversidade Étnico-Racial da Secretaria Municipal de Educação (Semed) promoveu, nessa terça-feira (04), a palestra “a identidade étnico-racial no Contexto da Sala de Aula”.  A palestra, realizada no auditório Paulo Freire, na Cambona, foi ministrada pelo professor mestre em Sociologia, Carlos Henrique Martins de Jesus, por meio de uma parceria entre a Semed e a Universidade Federal de Alagoas (Ufal).

Na oportunidade, os alunos da Escola Audival Amélio, localizada no bairro do Sítio São Jorge,  fizeram uma apresentação de capoeira.

Durante a palestra, o professor destacou os aspectos econômicos, culturais, sociais e ideológicos na formação da sociedade brasileira e falou sobre o papel da escola nesse contexto.

“Nenhuma escola está fora do seu contexto social. A história nos mostra que o papel da escola é formar sujeitos para atuar na sociedade”, destacou o palestrante.

A palestra reforçou que a escola é o espaço de reprodução das dinâmicas sociais. “É importante discutir cada papel desse sujeito de origem europeia, indígena e africana, que compõe a sociedade brasileira. É preciso entender que todos esses personagens tiveram pepeis importantes na formação dessa sociedade. O que ocorre é que o sujeito negro e indígena foi marginalizado, sua identidade foi construída de forma negativa. Seus elementos simbólicos e culturais foram colocados de forma negativa. Então, quando você discute a identidade étnico-racial na educação, vai no sentido de você positivar esse sujeito”, detalhou Carlos Henrique.

Já a coordenadora de Centros e Núcleos da Semed, Ticyane Bentes, ressaltou que a cultura de paz está inserida em todo projeto educacional desenvolvido nas escolas. “Uma educação de qualidade que abranja, além das disciplinas usuais, uma formação adequada em direitos humanos e diversidade. Tudo isso é fundamental para o desenvolvimento de um ambiente plural que é aquele que reúne diversas ideias e opiniões”, complementou.



Compartilhe