Geral

Cidadão Legal agiliza emissão de 10 mil documentos para dependentes químicos


Fonte: Assessoria

05/12/2018 17h38

O projeto Cidadão Legal, lançado pelo Governo de Alagoas em março deste ano, já disponibilizou a retirada de mais de 10 mil documentos para os dependentes químicos acolhidos pela Rede Acolhe, coordenada pela Secretaria de Estado de Prevenção à Violência (Seprev).

O projeto visa reinserir os dependentes em recuperação no mercado de trabalho e surgiu para fortalecer a Política sobre Drogas em Alagoas, que já conta com programas consolidados como Anjos da Paz e Agentes da Paz.

São documentos como Registro de Nascimento, CPF, Carteira de Trabalho e tantos outros que, segundo a titular da Seprev, Esvalda Bittencourt, se fazem necessários para reinserir os dependentes químicos no mercado de trabalho.

“Ter a documentação completa é fundamental para os dependentes químicos após o período de tratamento. Muitos deles não têm os documentos porque se utilizam deles como moeda de troca quando estão consumidos pelo vício das drogas”, explicou Esvalda Bittencourt.

Desde que iniciaram os atendimentos, as equipes do Cidadão Legal já possibilitaram a emissão de mais de 2.400 certidões da Justiça Estadual e Federal, 802 cartões de PIS/PASEP, 459 Cadastro de Pessoas Físicas (CPF), 362 Certidões de Nascimento, dentre outros documentos.

Pedro Victor de Lima, 30 anos, é um dos beneficiados pelo programa da Seprev. O eletricista viveu dependente do crack por sete anos e foi reinserido na sociedade e no mercado de trabalho após ser acolhido por uma das comunidades da Rede Acolhe e passar por todo o processo de reinserção, desde as capacitações até a emissão dos documentos.

“Este apoio é fundamental para o resgate do dependente, principalmente porque o trabalho evita a recaída nas drogas e ajuda a dignificar o homem”, disse Pedro, que hoje abriu o seu próprio negócio, uma oficina de conserto de eletrodomésticos.



Compartilhe