a Braskem libera nota à imprensa sobre relatório da CPRM | Jornal de Alagoas

Geral

Braskem libera nota à imprensa sobre relatório da CPRM


Fonte: Da redação

14/08/2019 16h01

A Braskem liberou hoje (14) uma nota para imprensa reafirmando a sua disponibilidade para esclarecimentos e resoluções sobre o caso Pinheiro. A nota foi lançada após reunião, que ocorreu nesta semana, entre a Comissão Especial do Pinheiro, Mutange e Bebedouro, a Companhia de Pesquisa de Recursos Minerais (CPRM), o geólogo Thales Sampaio da Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de Alagoas (Fecomércio/AL), e comerciantes e moradores do Pinheiro, Mutange e Bebedouro.

No encontro entraram em pauta a responsabilidade da empresa pela subsidência e rachaduras na região, e a dificuldade na liberação de recursos para os moradores do bairro. 

Leia a nota na íntegra 

Nota à imprensa

A Braskem reafirma que tem prestado todos os esclarecimentos às autoridades. E está à disposição da Comissão Especial da Assembleia Legislativa para disponibilizar todas as informações sobre o caso. A empresa entende que o laudo não é definitivo e segue realizando estudos e atividades técnicos-científicos para compreender os fenômenos geológicos nos bairros do Pinheiro, Mutange e Bebedouro. Dada a complexidade do tema, a empresa contratou estudos e avaliações de especialistas brasileiros e internacionais para buscar a melhor solução que garanta a segurança das pessoas. Adicionalmente, a empresa está empenhada na conclusão dos sonares de todas as minas, análise considerada fundamental por especialistas para a compreensão das causas.

Em cooperação com autoridades locais, a Braskem vem implementando ações emergenciais na região, a exemplo da doação e instalação de equipamentos para a Central de Monitoramento da Defesa Civil e da estação meteorológica, recuperação de ruas danificadas por trincas e monitoramento de movimentação do solo por GPS de alta precisão, entre outras medidas.
A Braskem reitera com a sociedade alagoana o seu compromisso de atuação empresarial responsável, assim como tem feito há mais de quatro décadas no Estado.



Compartilhe