Geral

Trabalhadores acusam sindicado de descumprir decreto de emergência


Redação
Fonte: Jornal de Alagoas

25/03/2020 19h27

Trabalhadores do Sindiprev-AL passaram a questionar a decisão da diretoria da entidade, em manter o trabalho interno, “apesar do Decreto Governamental que coloca em quarentena todos os estabelecimentos comerciais, públicos, de lazer e associativos de qualquer caráter, exceto hospitais, postos de saúde, polícia, farmácias, fornecedores de alimentos”.

Segundo informações que circulam em grupos de Watsapp, “ o SINDPREV Alagoas está obrigando os seus funcionários a irem ao trabalho, sem qualquer EPI, expondo-os à pandemia (posto que seus associados e diretores são frequentadores diários das unidades de saúde).

Diretores do Sindprev tem fiscalizado várias unidades de saúde e denunciado irregularidades, entre elas a falta de material para proteger os trabalhadores.

A diretoria do Sindprev nega as irregularidades. E explica que que “considerando o grande desafio a enfrentar, a diretoria do Sindprev, deliberou, em reunião, pelo funcionamento, interno, da entidade, através de regime de plantão de seus funcionários, mantendo em casa os funcionários em situação se risco, disponibilizando transporte para levar e trazer os funcionários escalados para o rodízio”.

Ainda na nota, o Sindprev informa os colaboradores vão atuar “com carga horária reduzida, das 8 h às 14 h. Com número reduzido de trabalhadores, disponibilizando os EPIs devidos, como álcool em gel, luvas, máscaras, água e sabão. Afim de mantermos setores vitais da entidade como, financeiro, secretaria executiva, transporte, garantindo a mínimas condições de acompanhamento e encaminhamento das demandas imediatas da categoria”.

Veja as notas:

Uma nota atribuída ao sindicato dos trabalhadores em sindicados e órgãos classistas também circula nesses grupos.

Nota de Repúdio

O Sindicato dos Trabalhadores em Entidades Sindicais, Órgãos Classistas e Federações do Estado de Alagoas vem a público neste momento repudiar com veemência a conduta da direção do Sindprev-AL, que neste período de isolamento pela epidemia de coronavírus no Brasil, descumpre o decreto Estadual N.º 69541 e exige que seus funcionários se desloquem até a sede, para trabalhar em regime de plantão, descumprimento as orientações das organizações de saúde e do governo estadual.

O Sintesfal, representante dos trabalhadores de sindicatos, não aceita tal postura, uma vez que ela vai na contramão de tudo aquilo que vem sendo divulgado para superar o desafio imposto pelo Covid-19.

A decisão do Sindprev coloca a vida dos funcionários, diretores e prestadores de serviços, a todos que transitam pelo prédio, em risco.

O Sintesfal destaca que, como sindicato de trabalhadores da Saúde, é conhecedor das necessidades sanitárias e indicações médicas para a não propagação do vírus, bem como manter uma conduta irrepreensível com seus funcionários neste momento de mobilização contra a pandemia.

Nota de Esclarecimento

A diretoria do SINDPREV-AL, em função do grave momento quando enfrentamos uma pandemia de coronavirus, vem a público esclarecer o que se segue;

Considerando que o Sindprev nunca se furtou do cumprimento de suas funções estitararias, sobretudo no momento em sua base social enfrenta uma pandemia que coloca em risco a saúde de usuários e trabalhadores da seguridade social;

Considerando que em meio ao combate a citada pandemia, não estão sendo fornecidos os EPIs necessários para o pleno exercício de suas funções;

Considerando o flagrante descaso dos governos: federal, estadual e municipais, em garantir os EPIs específicos bem como as condições mínimas de trabalho;

Considerando o grande desafio a enfrentar, a diretoria do Sindprev, deliberou, em reunião, pelo funcionamento, interno, da entidade, através de regime de plantão de seus funcionários, mantendo em casa os funcionários em situação se risco, disponibilizando transporte para levar e trazer os funcionários escalados para o rodízio. Com carga horária reduzida, das 8 h às 14 h. Com número reduzido de trabalhadores, disponibilizando os EPIs devidos, como álcool em gel, luvas, máscaras, água e sabão. Afim de mantermos setores vitais da entidade como, financeiro, secretaria executiva, transporte, garantindo a mínimas condições de acompanhamento e encaminhamento das demandas imediatas da categoria.

Considerando que para garantir o funcionamento, interno, mínimo da entidade, foi realizada reunião administrativa prévia com seus funcionários estabelecendo, por acordo, as condições de plantão e rodizio mencionadas a cima;

Face ao exposto, o SINDPREV- AL, vem reafirmar o compromisso com as lutas históricas dos trabalhadores da Seguridade Social, primando pelo compromisso de classe, pela garantia das condições dignas de salario e de trabalho. Avante à Luta.

Leia aqui a nota na íntegra: Diretoria decide manter funcionamento da sede do sindicato com trabalho interno das 8 às 14 horas

Atuação do Sindprev

Em mais um denúncia da falta de estrutura da Saúde em Alagoas, diretores do SINDPREV-AL e do Conselho Regional de Psicologia apresentam uma série de irregularidades encontradas nas Unidades de Saúde e hospitais quanto a falta de Equipamentos de Proteção Individual (EPI’s), além inexistência de condições mínimas de trabalho.

Veja aqui a ação do sindicato: Diretores do SINDPREV-AL e membros do Conselho Estadual de Saúde denunciam falta de material para o combate ao novo coronavírus

O que é

O SINDPREV-AL é um dos pioneiros em nível nacional pela organização de ramo de atividade, no caso: Seguridade Social, que engloba trabalhadores dos três níveis do executivo (Federal, Estadual e Municipal). Portanto, o SINDPREV-Alagoas congrega em seu quadro de associados os/as trabalhadores da Saúde, Previdência e Seguro Social, Assistência Social e Trabalho nesses três níveis.

 



Compartilhe