Interior

Marechal Deodoro registra 100 dias sem mortalidade infantil


Fonte: Assessoria

16/01/2018 08h33

Na última semana, o município de Marechal Deodoro chegou à marca de 100 dias sem registro de mortalidade infantil. Diversas iniciativas fizeram com que o município alcançasse esse dado positivo, como o investimento em ferramentas online, informatização do sistema e capacitação de todos os profissionais da Saúde.

Uma das primeiras ferramentas lançadas no município foi o monitoramento dos usuários do Sistema Único de Saúde (SUS) por meio de SMS. Dentre o monitoramento realizado está o das gestantes. De acordo com a Secretaria Municipal de Saúde, os agentes comunitários de Saúde, após iniciarem o trabalho com o uso de tablets, começaram a realizar o cadastros dos números dos moradores das residências no sistema. Com isso, quando os agente identifica alguma gestante em sua área de atuação, o contato é direcionado para uma área específica do sistema e a usuária já recebe o encaminhamento para iniciar o Pré-Natal.

Na primeira consulta do Pré-Natal, as usuárias são direcionadas para a realização dos exames preconizados pelo Ministério da Saúde, como o hemograma e a ultrassom, assim como os testes rápidos que permitem diagnosticar doenças como Sífilis, Hepatite C, HIV. A gestante também já sai com a próxima consulta agendada.

A ferramenta de monitoramento por SMS faz com que as pacientes grávidas recebam diariamente mensagens dos enfermeiros, podendo haver interação com respostas sobre queixas ou dúvidas, tudo de forma gratuita. Caso a paciente relate algum problema ou algo que chame a atenção, a enfermeira entra em contato com a usuária e dá as devidas orientações, com o intuito de prevenir possíveis complicações na gestação, ou apenas retira a dúvida.

Atuando em Marechal Deodoro há 19 anos, Ruger Correia, enfermeira do PSF do Denison Amorim, afirmou que o município investiu em programas que foram essenciais e que possibilitaram o acompanhamento de perto da população. Ela ainda garante que hoje existe uma comunicação mais aberta da Saúde do município para com os profissionais e dos profissionais para os usuários.

“A expectativa de todo profissional que lida com saúde é salvar todas as vidas. A ideia da gente é zerar o número de falecimento. Hoje eu como profissional me sinto mais estrutura para trabalhar. Eu consigo desempenhar com otimização e objetividade meu trabalho. E com isso, conseguimos trabalhar mais próximo da gestante, para que de forma precoce a gente evite o pior lá na frente. Acredito que este seja o pensamento de todas as enfermeiras do município” disse.

A efetividade do SMS só foi possível com a implantação de outro sistema, o E-SUS+. Com o programa, os enfermeiros acompanham o trabalho dos agentes de saúde, que por sua vez, tem a gestante cadastrada em seu tablet. Com isso, o agente vai até as residências, registra a assiduidade no Pré-Natal, analisa a frequência nas consultas e a regularidade das vacinas.

“Esses dados que estamos colhendo é consequência da aproximação. A gestante antes tinha que ir até a unidade buscar o atendimento. Hoje se ela tiver uma dúvida, ela me manda uma mensagem, e eu respondo. Hoje ela tem uma comunicação mais fácil e aberta com sua Unidade de Saúde. Marechal Deodoro é hoje uma referência na Saúde. Tem pessoas vindo morar aqui porque na sua cidade não tem um atendimento digno de saúde”, afirmou a enfermeira. 

Todas essas informações colhidas pelos agentes são repassadas em tempo real para as enfermeiras nos Postos de Saúde, que por sua vez, acompanham e direcionam, da melhor maneira, a gestação das pacientes.

As ferramentas implantadas garantiram, ainda, um aumento da quantidade de exames, assim como a facilidade para a marcação. Hoje, todos os exames disponíveis no município podem ser marcados na própria unidade de saúde. Além disso, em 2017, foram realizados mais de 43 mil exames laboratoriais.  Quase 31 mil exames a mais que 2016.

Fábia Duarte, moradora do Denison Amorim, entrou no sexto mês de uma gestação de gêmeos e recebe o atendimento do Sistema Público de Saúde (SUS). Ela está em sua segunda gestação e está satisfeita com o acompanhamento da rede de saúde pública de Marechal Deodoro.

“Na primeira gestação eu paguei o plano de saúde para ter todo acompanhamento, e agora eu não precisei. Está tudo tranquilo, graças a Deus. Eu estou satisfeita com o atendimento. Como eu não posso ir, elas [agentes] entregam os exames na minha casa; me atendem, me orientam, me passam tudo. As enfermeiras ligam para mim. Eu confio no trabalho deles [unidade de saúde], graças a Deus, não está me faltado nada”, afirmou.

Todo esse acompanhamento é feito por meio do “Circuito da Gestante”, um caderno com todas as orientações e fases da gestação. Com o passar do tempo, a gestante vai cumprindo as obrigações e passando de fase. A cada parte do circuito concluído, é dado um presente como forma de incentivo.



Compartilhe