Interior

“Padre Eraldo deveria ter bom senso e renunciar a prefeitura”


Redação
Fonte: Jornal de Alagoas

31/05/2018 17h20

Nas eleições de 2016 Valdo Sandes (PSB), à época o presidente da Câmara Municipal de Delmiro Gouveia, disputou a prefeitura do município contra o deputado federal Givaldo Carimbão (Avante) e padre Eraldo Cordeiro (PSD). Mesmo tendo entrado na campanha com chances de vitória, o candidato foi tragado, literalmente, em meio a polarização entre os outros dois grupos.

Carimbão era apoiado pelo ex-prefeito Lula Cabeleira (MDB) e padre Eraldo se apresentava como a “verdadeira” oposição e terminou vencendo com o apoio de políticos influentes como o deputado federal Marx Beltrão (PSD) e o deputado estadual Ronaldo Medeiros (MDB).

Após um ano e cinco meses de gestão de Eraldo Cordeiro, Valdo avalia que se a eleição fosse hoje, o resultado seria bem diferente. “Todas as cidades enfrentam dificuldades por conta da crise. Mas em Delmiro Gouveia a situação é muito pior. O descontrole é total. O prefeito terceirizou a gestão e a população está sofrendo com atraso de pagamentos e vários outros desmandos. Quem manda na prefeitura não é de Delmiro. Depois, seja qual for o resultado, eles vão embora e deixarão o problema para quem vive na cidade resolver”, lamenta.

Para Valdo Sandes, a situação se agravou tanto em Delmiro Gouveia que o atual prefeito não tem mais condições de continuar no cargo: “ele tem 95% de reprovação, ninguém quer mais ele na prefeitura. Eu acho que o padre Eraldo deveria ter bom senso, mandar uma carta para a Câmara de Vereadores e renunciar o mandato”, resume.

A renúncia e Eraldo, embora pouco provável, seria a saída menos traumática para o município, avalia Sandes: “mês após mês a situação tem piorado, afetando o comércio, o trabalho e a vida das pessoas. O parde Eraldo foi eleito vendendo sonhos e esperanças. Agora, que virou pesadelo, ele deveria ouvir o povo, deixar a prefeitura e tocar sua vida em outro lugar”, aconselha.

Quanto as eleições passadas, Valdo lamenta que o eleitor de Delmiro Gouveia tenha sido iludido com falsas promessas e ilusões. “Um era forasteiro e quando as urnas fecharam foi embora da cidade. O outro, como a gente já alertava, é isso aí que estamos vendo. É uma pena. Ainda assim a gente que vive em Delmiro não pode desistir da cidade, nem dos compromissos com nosso povo. Mas continuar em busca de saídas. Quanto antes isso se resolver, melhor para os delmirenses”, pondera.

“Fui candidato porque entedia que Delmiro Gouveia precisava de uma proposta de mudança, mas de mudança com responsabilidade. Carimbão representava o continuísmo de uma gestão que tinha alguns acertos na área financeira, mas era distante do povo. Eraldo, como alertamos, não tinha qualificações para assumir a gestão do município. O nosso compromisso era e é com uma mudança com responsabilidade”, resume Sandes.



Compartilhe