Interior

Empregos nas obras do Canal do Sertão devem cair pela metade


com agência
Fonte: Da redação

09/08/2018 20h20

A maior obra hídrica do Nordeste, o Canal do Sertão Alagoano está travado e as obras do trecho IV podem parar nas próximas semanas. Isso porque o governo federal, através do Ministério da Integração Nacional, apesar de ter anunciado novos recursos, não liberou o aporte financeiro.

São necessários R$ 226 milhões para a conclusão das obras do trecho IV, que já estariam assegurados no Orçamento da União. Do total, R$ 61 milhões deverão ser aplicados ainda este ano. Mas, até agora, os recursos ficaram na “promessa”.

As empresas que tocam o trecho IV anunciaram a demissão de mais 100 trabalhadores da obra ao longo deste mês. No pico da obra eram 850 trabalhadores. Com as demissões serão 420. A obra não recebe recurso há dois meses e cerca de R$ 30 milhões reais estariam “em aberto”.

As demissões de mais da metade dos trabalhadores decorrem do atraso no repasse de recursos federais para a obra, que é tocada pela Secretaria de Infraestrutura de Alagoas.

O mínimo para a construção não paralisar por completo seria de R$ 61 milhões, previstos no orçamento geral da União para o canal do sertão. Além disso teria um saldo de R$165 milhões para conclusão. O cronograma para conclusão terá de ser revisto. Era final 2018. Agora sem previsão.

Esclarecimento

Em nota, a Secretaria de Estado da Infraestrutura que realiza a obra do Canal do Sertão em convênio com o Ministério da Integração, confirma o atraso no repasse de recursos.

“A Secretaria de Estado da Infraestrutura esclarece que aguarda o repasse de recursos provenientes do Ministério da Integração Nacional para que as obras do Canal do Sertão sejam concluída”, diz a nota.



Compartilhe