Justiça

1ª CPM/I detém dupla após tentativa de assalto com reféns em agência dos Correios em Luziápolis


Fonte: Ascom PM/AL

28/09/2017 09h51


Após horas de negociações, militares da 1ª Companhia de Polícia Militar Independente (CPM/I), com o apoio da equipe do Gerenciamento de Crises, conseguiram prender um indivíduo e apreender um adolescente após uma tentativa de assalto com reféns numa agência dos Correios localizada no distrito de Luziápolis, no município de Campo Alegre.
 
Logo após terem sido informados que dois homens estariam realizando um assalto na agência através de denúncia pelo 190, uma equipe das Rondas Ostensivas com o apoio de Motocicletas (Rocam) se dirigiram ao local para fazer os primeiros levantamentos e com o apoio da Guarda Municipal de Campo Alegre fizeram o isolamento da região, tendo o apoio posterior das guarnições do Pelotão de Operações Especiais e do Oficial de Operações da Companhia.
 
Os indivíduos mantiveram cinco pessoas reféns, sendo três funcionários da Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos (ECT), uma cliente e a filha menor de idade, e só iniciaram a liberação das vítimas após a chegada de seus familiares. A mãe de um deles chegou ao local com o apoio de militares do 5º Batalhão de Polícia Militar, localizado no Benedito Bentes, em Maceió, onde ela mora.
 
Acertado com os perpetradores a rendição dos mesmos, os reféns foram liberados gradativamente, sendo as clientes as primeiras saírem do recinto, e duas funcionárias posteriormente. Em seguida, o adolescente de 17 anos, que estava desarmado se rendeu e se entregou à polícia.
 
João Lucas Santos de Lima, de 23 anos, na vista dos policiais militares acabou deixando a arma de fogo, um revólver calibre 38, com quatro munições intactas, no chão e logo após se entregou, saindo do recinto junto do gerente da agência, última vítima mantida refém na ação criminosa.
 
Com os dois indivíduos também foram apreendidos R$ 5.400 e a motocicleta, utilizada para que os mesmos chegassem ao local do roubo.
 
Os infratores foram encaminhados pelos militares à Delegacia Regional de São Miguel dos Campos, que foi utilizada por agentes da Polícia Federal para a realização do Flagrante Delito, tendo em vista de que a ECT é uma empresa pública federal. Toda a operação, que foi coordenada pelo comandante da 1ª CPM/I, major Renilson Rodrigues, e contou ainda com o apoio da Radiopatrulha da Unidade e de equipes da Força Tarefa, durou sete horas.
 



Compartilhe