Justiça

Operação prende 26 pessoas envolvidas em crimes no Agreste


Fonte: Agência Alagoas

24/03/2018 09h25

A cúpula da Segurança Pública de Alagoas concedeu entrevista coletiva, na tarde desta sexta-feira (23), para dar detalhes da Operação Ares II, deflagrada quinta-feira (22), no Agreste alagoano, que resultou na prisão de 26 pessoas envolvidas com organizações criminosas, tráfico de drogas e outros crimes. Depois da operação, o bairro Primavera, em Arapiraca, foi ocupado pelas forças policiais.
 
As investigações foram realizadas pela Secretaria da Segurança Pública, Polícias Civil e Militar, com apoio do Grupo Estadual de Combate às Organizações Criminosas (Gecoc) do Ministério Público do Estado, e duraram cerca de cinco meses.
 
Foram cumpridos 66 mandados de busca e apreensão e 28 de prisão, expedidos pela 17ª Vara Criminal da Capital com base nas investigações que comprovaram o envolvimento dos presos com crimes e facções criminosas. Os mandados foram cumpridos em Arapiraca, São Miguel dos Campos, Girau do Ponciano e Lagoa da Canoa.
 
Participaram da operação equipes do Batalhão de Operações Especiais (Bope), do 3º, 10º e 11º Batalhão da Polícia Militar e da 3ª Companhia Independente, além do 4º e 52º Distritos Policiais, equipes do Centro Integrado de Segurança Pública (Cisp) de Girau do Ponciano, Tigre, Asfixia e o Grupamento Aéreo da SSP.
 
Segundo o delegado Thiago Prado, os suspeitos recebiam ordens de detentos para praticar crimes e, assim, causar a sensação de insegurança em Arapiraca e municípios circunvizinhos. As investigações apontaram que os presos pertenciam a facções criminosas.
 
“A identificação dos detentos foi possível graças ao trabalho do Serviço de Inteligência. Esses indivíduos tinham envolvimento com crimes e homicídios decorrentes do tráfico de drogas. Dois líderes já estavam presos e ordenavam crimes e outras ações. Então, é importante eles receberem novo mandado de prisão para evitar que saiam para voltar a cometer mais crimes”, afirmou.
 
Foram presos ontem, durante o cumprimento dos mandados, José Ivo da Silva dos Santos, de 24 anos; Nathália Cristina da Silva, de 20 anos; Girleno Ferreira da Costa, de 38 anos; Marcelo da Silva Canuto, de 27 anos; Jeferson dos Santos, de 22 anos; José Lean Guedes de Souza, de 29 anos; Tiago Raimundo dos Santos, de 28 anos; Erivaldo Santos Gomes e José Daniel Veríssimo de Lima.
 
Tiveram novo mandado de prisão cumprido dentro do sistema prisional por envolvimento com os crimes, Maciel Barros Marinho, conhecido como ‘Salsicha’; Claudio Henrique da Silva Gomes, conhecido como ‘Galeguinho’ ou ‘Motorista’; Carlos Alberto dos Santos Oliveira, o ‘Bigola’; Samuel dos Santos Campos, conhecido como ‘Irmão’ ou ‘Levi’; Matheus Maciel da Silva; Giliel Oliveira da Silva, o ‘G2’; Wanderson de Melo Santos, o ‘Andinho’; Claudevan Pereira da Silva, o ‘Bob’; Jeverton dos Santos, conhecido também como ‘Toni’; Diogo Aureliano de Freitas, o ‘Bagaceira’; João Carlos Martins da Silva, conhecido como ‘B2’ ou ‘Branco’; Alice Torquato dos Santos; Levy Rodrigo Fernandes Ramos; Josivan dos Santos Araújo Júnior, o ‘Coiote’; e Aldair Mendes dos Santos, o ‘Feijão’.
 
Durante o cumprimento dos mandados, Etjames Falcão Barbosa, de 43 anos, e Tony Paulo Santos Silva, de 29 anos, atiraram contra a equipe policial e os militares responderam à ação. Os dois acabaram morrendo. Ambos tinham mandado de prisão expedido por integrarem a organização criminosa. Foram apreendidos quatro revólveres, 500 gramas de maconha e 200 gramas de crack.
 
O comandante-geral da Polícia Militar de Alagoas, coronel Marcos Sampaio, parabenizou as equipes envolvidas na ação e chamou atenção para o grande número de detentos integrantes da organização e que tiveram novo mandado de prisão cumprido contra eles.
 
“O resultado mostra que o trabalho foi bem feito tanto pelas equipes que cumpriram os mandados quanto pela belíssima atuação da Inteligência, que conseguiu detectar a atuação de presos nos crimes na região Agreste”, disse.
 
O subcomandante do 3º Batalhão, Capitão Luciano, explicou que na ação foram empregados mais de 120 policiais, entre civis e militares, e que a ocupação no bairro Primavera ocorrerá até que haja estabilização dos índices criminais na região. “Estaremos com um ônibus e conjuntos da Cavalaria dando suporte ao policiamento no local”, explicou.
 
O secretário da Segurança Pública, Lima Júnior, ressaltou a importância da operação para conter crimes na região Agreste. Ele acredita que as prisões e a posterior ocupação policial terão bons resultados na redução da criminalidade.
 



Compartilhe