a Projeto estimula jovens a retratar prevenção à violência com fotografia | Jornal de Alagoas

Municípios

Projeto estimula jovens a retratar prevenção à violência com fotografia


Fonte: Agência Alagoas

26/03/2019 18h00

Com o objetivo de lançar um olhar diferente e sob uma perspectiva da própria comunidade sobre o que é prevenção à violência, o Projeto Retrato das Quebradas da Secretaria de Estado de Prevenção à Violência (Seprev) deu início, nesta terça-feira (26), a uma série de oficinas produtivas de fotografia para jovens e adolescentes.
Neste primeiro dia, foram contemplados aproximadamente 30 estudantes da Escola Estadual Miran Marroquim, no Jacintinho, que, além de aprender todas as técnicas fotográficas, participaram de palestras e debates sobre conceitos e temas que envolvem a prevenção da violência. A oficina da fotografia foi ministrada pelo fotógrafo e técnico da Seprev, Vitor Beltrão.
“O projeto nasceu da necessidade de pensar em métodos interventivos onde fosse possível ouvir e visualizar a maneira particular que cada comunidade tem sobre violência. Para tal, idealizou-se a utilização de recursos fotográficos, os quais permitem entender melhor a localidade, sob a visão daqueles que realizam as fotografias”, explicou a supervisora de Prevenção, Promoção e Reintegração da Seprev, Josse Leah.
Ao todo, o Retrato das Quebradas realizará oficinas de fotografias em seis escolas dos territórios prioritários de atuação da Seprev, iniciando no Jacintinho e passando pelos bairros do Benedito Bentes, Cidade Universitária, Clima Bom, Vergel e Tabuleiro dos Martins.
“As oficinas sobre fotografia em cada comunidade se tornará um diferencial, tendo em vista que tal alternativa proporcionará aos participantes a possibilidade de se expressarem, sem necessariamente ter que verbalizar”, completou Josse Leah.
O projeto permitirá uma construção de intervenções mais concretas e pontuais, bem como a possibilidade de fomentar políticas e atuações mais eficazes. Ao final, será realizado uma exposição com as fotos de todos os jovens que participarem e que melhor retratarem a sua perspectiva de violência.



Compartilhe