a Conecte SUS começará pelos Municípios alagoanos | Jornal de Alagoas

Municípios

Conecte SUS começará pelos Municípios alagoanos


Fonte: AMA

16/11/2019 12h35

Lançado na última segunda-feira, 11 de novembro, o programa Conecte SUS, do Ministério da Saúde, pretende informatizar as unidades de saúde do país. O projeto piloto começará pelos Municípios de Alagoas. Com o objetivo de dar mais eficiência no atendimento e na continuidade do tratamento em qualquer local, as informações de saúde do cidadão serão integradas em uma grande rede de dados denominada Rede Nacional de Dados em Saúde (RNDS).

O Estado alagoano foi escolhido, segundo a pasta, por ter uma das melhores coberturas de internet do país. Os Municípios, por adesão, devem informatizar as unidades de saúde da Atenção Primária a partir de apoio financeiro do Ministério da Saúde. Em Alagoas, 76% das unidades de saúde da família precisam ser informatizadas.

A partir do monitoramento e da avaliação dos processos nos Municípios alagoanos, a validação do modelo iniciará em março de 2020. Em seguida, ocorrerá a expansão para outros Estados. O Conecte SUS é parte da estratégia da Saúde Digital definida pelo governo federal.

Quando finalizada a implementação, a pasta afirma que o cidadão terá acesso as suas informações por celular, computador ou tablete, utilizando apenas o CPF, além da decisão sobre o compartilhamento de seus dados em saúde. Pelo programa, o cidadão poderá consultar a própria trajetória no SUS, como quais vacinas tomou, atendimentos e exames realizados, internações e medicamentos.

Essa integração e disponibilidade de dados é uma das demandas da Confederação e foi apresentada ao governo federal durante a XXII Marcha a Brasília em Defesa dos Municípios. A solicitação também envolve a integração e redução do número de sistemas de informações que os Municípios devem alimentar diariamente, o que facilitará o monitoramento do atendimento dos usuários nas redes de atenção à saúde dos Municípios e evitará duplicidades de atendimento. Além, é claro, de fornecer as informações de saúde aos usuários do SUS.

De acordo com a nova Política de Financiamento da Atenção Primária à Saúde, tema da Roda de Conhecimento desta quinta-feira, 14 de novembro, que contou com a participação do Secretário da Atenção Primária Erno Harzheim, os Municípios receberão R$ 2 mil mensais por cada equipe de saúde da família informatizada. “Inicialmente vamos financiar as 26 mil equipes que já estão informatizadas”, afirmou o secretário.

A CNM espera que a nova política de informatização atinja seus objetivos, uma vez que debatemos e buscamos essa informatização desde 1999, com a proposta inicial do Cartão SUS e em seguida do Prontuário Eletrônico do Cidadão (PEC) e, por fim, da Política de Informatização das Unidades Básicas de Saúde (PIUBS).



Compartilhe