Negócios

Programa do leite pode sofre novo ‘revés’ apesar da liberação de recursos do MDS


Fonte: EDIVALDOJUNIOR.COM.BR

11/11/2017 10h49

Na terça-feira, 7, o Ministério do Desenvolvimento Social (MDS) anunciou, pela segunda vez este, que serão liberados mais R$ 7,5 milhões para o programa do leite em Alagoa. Com a liberação, o MDS totaliza o repasse de R$ 15 milhões em 2017.

Os recursos que chegam agora, no entanto, são suficientes para manter o programa até 15 de novembro (considerando que serão pagas as quinzenas em atraso).

Ou seja, a luz amarela continua acesa. Para garantir a continuidade do programa, que é operado por cinco cooperativas (CPLA, Pindorama, Aagra, Coopaz e Cafisa), os produtores pleiteiam que o governo do Estado, através do Fecoep assegure o pagamento dos produtores até fevereiro, quando novos recursos federais deverão ser liberados.

Foi o que aconteceu no ano passado. O governo de Alagoas assegurou a manutenção do programa, antecipando a liberação de recursos da contrapartida estadual.

“O governador Renan Filho sempre deu prioridade ao programa do leite. Sem a ação mais efetiva do governo do estado, nós não teríamos como manter a distribuição do leite, até porque o repasse dos recursos federais é muito irregular e o agricultor familiar não consegue esperar um, dois, três ou quatro meses pelo pagamento”, explica o presidente da CPLA, Aldemar Monteiro.

A liberação

O anúncio da nova liberação foi feito pelo ministro do Desenvolvimento Social, Osmar Terra, ao lado do ministro do turismo, Marx Beltrão.

Em reunião com agricultores familiares, em setembro deste ano, Marx prometeu trabalhar pela liberação dos recursos. Conseguiu até agora destravar duas de três parcelas de R$ 7,5 milhões previstas pelo MDS para o programa em Alagoas. O maior desafio do ministro agora será conseguir assinar com Osmar Terra o aditivo renovando o programa para 2018.

“A nossa esperança foi renovada. Agradecemos mais uma vez ao ministro. Mesmo com a crise, estamos conseguindo dar continuidade a um trabalho que já atende mais de quatro mil produtores e beneficia cerca de 80 mil famílias em todo o estado”, ressalta Aldemar Monteiro, presidente da CPLA.



Compartilhe