Negócios

Cliente comprovadamente enganado na Black Friday pode acionar a Justiça


Fonte: TJ Alagoas

24/11/2017 13h18

Criado nos Estados Unidos, a “Black Friday” acontece tradicionalmente depois do feriado de Ação de Graças. A ação chegou ao Brasil por volta de 2010 e desde então faz sucesso com os consumidores brasileiros. Mas cuidado, alguns lojistas aproveitam a oportunidade para aumentar os preços até meses antes e na “Black Friday” vendem os produtos com o valor normal, divulgando falsas “promoções”.

Pensando nisso, a TV Tribunal conversou com a juíza Maria Verônica Correia Carvalho Souza Araújo, titular do 1º Juizado Especial Cível e Criminal de Maceió, e com o economista Cícero Péricles para dar dicas de como não cair nessas “pegadinhas” nas compras da “Black Friday”, “Black Week” e “Black Weekend”.

“Existem empresas que praticam esse tipo de fraude, de enganosidade para com seus clientes. Então é preciso que o consumidor esteja atento. Primeiro, evite esse tipo de estabelecimento e depois, se realmente acontecer, e ele tiver como comprovar que foi enganado, que a empresa utilizou um método comercial desleal, o consumidor poderá pleitear seu ressarcimento na Justiça”, explicou a magistrada Maria Verônica.

Além dos especialistas, você verá também a experiência do aposentado José Paulo dos Santos que pretende comprar uma máquina de lavar roupas com um bom desconto. Clique aqui e confira a matéria.



Compartilhe