Negócios

Prefeitura quer fortalecer atividade apícola em Maceió


Fonte: Ascom Semec

10/04/2018 14h32

Maceió marcou presença no Curso de Manejo em Apicultura, realizado pela União de Produtores da Própolis Vermelha de Alagoas (Uniprópolis) com o apoio da Braskem, na última sexta-feira (6). Desde o ano passado, a Prefeitura vem reconhecendo o potencial da atividade apícola na capital, e a participação em capacitações como esta permite a ampliação da visão sobre a atividade e o reconhecimento do cenário atual.

De acordo com Valdo França, secretário adjunto de Administração Tributária, a gestão do Prefeito Rui Palmeira busca o ambiente favorável para a implementação de novas atividades produtivas em Maceió, e participar deste curso é uma forma de estar próximo de possíveis parceiros e de produtores locais.

“Estamos na fase de reconhecimento do ambiente local, identificando possíveis parceiros e produtores, além de entendermos as necessidades da atividade para direcionarmos nossos projetos e ações no atendimento às demandas dos produtores. Queremos investir em capacitações, facilitar a aquisição de equipamentos, e o acesso a espaços como casas do mel e apiários coletivos”, explicou Valdo.No curso, estavam potenciais produtores de outros municípios e de bairros como Clima Bom e Ipioca. Na oportunidade, eles aprenderam sobre as diferentes espécies de abelha, técnicas de manejo, produtos derivados da apicultura e seu potencial mercadológico, além da importância da atividade para o desenvolvimento sustentável.

“O Brasil produz em média 40 mil toneladas de mel por ano, enquanto que a China 370 mil toneladas. Não exploramos um terço do potencial apícola que o país tem e há mercado interno e externo para isso. Alagoas, por sua vez, está com produção em torno de 100 toneladas/ano e possui potencial ambiental e climático para ultrapassar muito esta produção”, destacou José Izaías Zacarias, apicultor, membro da Uniprópolis, e facilitador do curso.

Veraleide Nazaré é assistente social do Programa BB Comunidade, patrocinado pela Fundação Banco do Brasil e desenvolvido dentro do Clube da AABB em Ipioca. Para ela, seria interessante uma parceria junto com a Prefeitura com foco no fortalecimento da atividade apícola na região. “Trabalhamos com adolescentes naquela região que vivem em vulnerabilidade. Desenvolver esta atividade junto com eles, seria oferecer oportunidade de geração de renda e de inclusão social a estes jovens”, falou a assistente.

André Luiz dos Santos, representante da ONG VIVA, que desenvolve ações de esporte e lazer junto a crianças e adolescentes da região do Clima Bom, afirma o interesse em implantar mais esta atividade, fortalecendo o trabalho junto aos jovens atendidos na organização.

“Queremos que a Prefeitura abrace realmente esta ideia de projeto de fortalecimento da atividade apícola porque para nós será uma grande chance de gerar trabalho e renda para esta população sofrida e carente que vive naquela região, dando novas oportunidades aos jovens que muitas vezes tem livre acesso ao ambiente de violência. Mostrar para eles novos horizontes é essencial”, disse André.

Maceió tem um grande potencial na atividade apícola, principalmente, no que se refere à produção da própolis vermelha, produto já reconhecido internacionalmente e que conta com selo de Indicação Geográfica (IG) da Própolis Vermelha dos Manguezais de Alagoas, na modalidade Denominação de Origem, concedida pelo Instituto Nacional de Propriedade Indústria (INPI).

Em Maceió, os bairros Rio Novo, Saúde, Bebedouro, Fernão Velho, Pontal da Barra, e outras localidades da região norte já contam com apicultores que precisam desse apoio.  Além da própolis vermelha, a apicultura permite a dinamização da atividade pela quantidade de possibilidades de produtos derivados que transitam desde a alimentação, cosméticos e produção de fármacos.



Compartilhe