Polícia

PRF inicia Operação Carnaval 2020 nesta sexta-feira (21)


Fonte: Assessoria PRF

17/02/2020 11h14

A Polícia Rodoviária Federal (PRF) inicia na próxima sexta-feira (21) sua Operação Carnaval 2020. A ação, que é a última etapa da Operação Rodovida, se estende até a quarta-feira de cinzas (26) e tem como objetivo a redução de acidentes de trânsito e a diminuição da criminalidade nas rodovias federais que cortam o país.

Em Alagoas, durante o período carnavalesco o fluxo de veículos aumenta significativamente nas BRs 101, 104 e 316. Nelas a PRF vai concentrar seus esforços e intensificará suas fiscalizações nos pontos e horários estratégicos apontados como críticos por seus estudos, ou seja, aqueles de grande incidência de infrações ou acidentes no estado. Com isso o órgão visa minimizar a violência no trânsito e garantir mais conforto e segurança para os usuários da rodovia.

Durante os seis de dias de trabalho, os policiais farão ações de fiscalizações e de educação para o trânsito, voltadas para as condutas de risco dos condutores. O foco da PRF é voltado para as condutas irregulares que costumam causar acidentes graves em todo país. São elas: excesso de velocidade, ultrapassagem indevida, embriaguez ao volante, não utilização do cinto de segurança, transporte inadequado de crianças, falta do uso de capacete e utilização de celular.

Atentos às prévias carnavalescas, a PRF/AL iniciou desde o início desse mês trabalhos integrados com outros órgãos de trânsito em rodovias do estado. Durante essa semana, o Grupo de Educação para o Trânsito (GETRAN) da PRF também realizará Cinemas Rodoviários e ações preventivas durante suas fiscalizações de rotina e na Rodoviária de Maceió. Com isso, os policiais tentam sensibilizar os foliões que viajarão de transporte coletivo sobre a importância de usar um veículo seguro para seu deslocamento e sobre a importância do uso do cinto de segurança.

Uma das grandes preocupações dos agentes federais nesse período é com a mistura álcool e direção. Por isso, eles alertam que intensificarão o uso do etilômetro e explica que mesmo se negando a realizar o teste, que constatará se o motorista bebeu antes de dirigir, ele pode ser autuado, preso e ter seu direito de dirigir suspenso. Vale lembrar que a autuação de embriaguez ao volante é uma das mais caras do Código de Trânsito Brasileiro. Custa R$ 2.934,70, além do grande risco que o usuário se coloca ao dirigir embriagado.



Compartilhe