Política

Rui Palmeira fala como candidato ao governo e “ganha” tempo para a oposição


Edivaldo Júnior
Fonte: www.edivaldojunior.com.br

03/11/2017 08h06

Prestes a assumir a presidência do PSDB em Alagoas, Rui Palmeira mudou o tom do discurso em relação a 2018. Ele já fala como candidato, chamando para si a responsabilidade da liderança do grupo que hoje faz oposição ao Palácio dos Palmares.

Em recente entrevista coletiva, o prefeito de Maceió, afirmou que o PSDB terá candidatos fortes ao Governo e ao Senado. “Pode ter certeza o alagoano que não vai haver um monopólio dos Calheiros em 2018”, disse.

Apesar do tom, Rui ainda não confirmou se será ele o candidato ao governo. Seu nome, é bom lembrar, já foi “lançado” pelo senador Benedito de Lira (PP), pelo ex-governador Teotônio Vilela (PSDB), pelo ministro dos Transportes, Maurício Quintella (PR) e pelo presidente do DEM em Alagoas, Thomaz Nonô.

Rui Palmeira garantiu que “certamente vai participar do jogo político”, no ano que vem, mas não deixou revelou qual será seu papel em campo.

Seja candidato ou não, Rui conseguiu um feito importante para o grupo de oposição: ele ganhou tempo. Um tempo precioso para que as articulações avancem.

A mudança no comando do PSDB, que será realizada no próximo dia 11, com Rui Palmeira assumindo a presidência no lugar de Téo Vilela, também ajudou a diminuir pressões internas no grupo. A seu favor, o prefeito ainda terá uma viagem internacional, de quase duas semanas, logo após a convenção. Assim, poderá deixar a decisão para o finalzinho de 2017 ou para o começo de 2018.

Antes disso, deverá ser anunciada a pré-candidatura de Téo Vilela ao Senado. Em clima de descontração, o prefeito já avisou que vai se decidir dois dias depois que Téo anunciar se será ou não candidato. No fundo, Téo é candidatíssimo. E Rui, a continuar nessa marcha, seguirá a mesma trilha.



Compartilhe