Política

Renan “libera” aliados para o “segundo voto” ao Senado


Redação
Fonte: www.edivaldojunior.com.br

16/01/2018 08h03

De volta ao cenário político, depois de uma pausa de final de ano, o senador Renan Calheiros encarou um público de mais de 40 mil pessoas na Festa de Bom Jesus dos Navegantes, na sexta-feira, 12 em Penedo.

Ao lado do prefeito do município, Marcius Beltrão, do governador Renan Filho e do deputado federal Ronaldo Lessa, Renan Calheiros posou para selfies com várias pessoas em meio ao público do show que tinha entre outras atrações o grupo Psirico e o cantor Gustavo Lima.

Na festa, claro, Renan não deixou de falar de política. Marcius Beltrão avisou que vai trabalhar pela reeleição do governador e senador.

E o segundo voto para o Senado? Como tem feito no contato com lideranças da capital e interior, Renan, deixa o prefeito “liberado”.

A “liberação”, claro que  depende do prefeito ou aliado já ter assumido compromisso com algum outro candidato – fato bastante comum na política alagoana hoje.

No caso de Marcius, o outro voto ao Senado, por óbvio, será de Marx Beltrão. Mas cada caso é um caso. Renan tem votos de prefeitos que além dele votam em Téo, Biu e Quintella.

Na disputa com pesos pesados como Téo Vilela, Benedito de Lira, Maurício Quintella e Marx Beltrão, a estratégia de Renan Calheiros para garantir a reeleição tem sido a de pedir voto para ele – “liberando” amigos e aliados para o segundo voto.

Afora isso, Renan tem avisado que não vai barrar a candidatura de ninguém. Aos aliados mais próximos ele tem dito que não vê problemas em ter Marx Beltrão na chapa majoritária do grupo de Renan Filho – independente do ministro permanecer no MDB ou mudar de partido, como se especula.

A definição da chapa, no entanto, não sairá agora. Tanto Renan, quanto Renan Filho esperam a movimentação do “outro lado”. Uma eventual candidatura de Rui Palmeira ao governo ou ao Senado poderá sim mudar o jogo eleitoral e as composições. Mas essa, é outra história.



Compartilhe