Política

Quintella vai disputar Senado ao lado de Rui Palmeira


REDAÇÃO
Fonte: www.edivaldojunior.com.br

08/02/2018 13h33

É caminho sem volta. O ministro dos Transportes e deputado federal licenciado Maurício Quintella (PR) está decidido a disputar o Senado. É plano A, sem Plano B, avisa: “Vou a luta. As bases de deputado federal estão sendo mantidas para o caso de algum acontecimento inesperado. Estou determinado a encarar a disputa”, adianta.

Antes de começar a pré-campanha, o ministro terá que fazer o dever de casa – literalmente. Maurício Quintella espera resolver na política seu espaço na chapa majoritária do grupo que hoje faz oposição a Renan Filho e acredita que Rui Palmeira (PSDB) será candidato ao governo.

Não é, convenhamos, tarefa simples. O grupo tem, além do próprio, outros dois fortes pré-candidatos – o atual senador Benedito de Lira (PP) e o ex-governador Téo Vilela (PSDB).

E que ninguém se engane. O ministro não vai só para esta missão. Ele tem recebido o apoio do diretório nacional do seu partido e do Palácio do Planalto.

Correndo trecho

Salvo fato novo, Quintella trabalha com a certeza de que Rui Palmeira será candidato ao governo. E ao contrário do que muitos imaginam, o ministro avalia que o prefeito não precisa decidir nada por enquanto: “quem já esperou até agora, espera mais um mês e meio. Meu sentimento é que ele será candidato e dirá isso na hora certa”, adianta.

O prazo da desincompatibilização, não custa lembrar, é 7 de abril. Até lá, Quintella acredita que Rui dará um “banho de asfalto” em Maceió nas próximas semanas. “Conseguimos liberar com o presidente Michel Temer recursos para ajudar a recuperar a cidade das últimas enchentes. O prefeito vai mostrar muito trabalhos, não só na pavimentação de ruas, mas também em outras áreas”, enfatiza.

E se…?

Claro que a decisão de Maurício – assim como a de vários outros políticos ligados ao grupo do prefeito de Maceió – vai depender do afastamento de Rui Palmeira da prefeitura para disputar o governo. Se ele fica estes planos terão de ser reescritos. Nada, no entanto, que desamine Quintella de encarar o Senado.



Compartilhe