Política

Interdição: TJ tira João Lyra do comando da Laginha


Fonte: www.edivaldojunior.com.br

09/03/2018 13h27

1O empresário João Lyra foi afastado de suas funções “laborais”, a partir de interdição parcial, que o deixa fora do controle de seus bens e também do acompanhamento do processo de falência da Laginha Agroindustrial SA.

O processo que 0803328-15.2016.8.02.0000 que corre em “segredo de Justiça” foi julgado, nessa quinta-feira, 8, pela Segunda Câmara Cível do Tribunal de Justiça de Alagoas.

De acordo com informações confirmadas por parentes de João Lyra e funcionários do escritório do Grupo JL, a Segunda Câmara Cível do Tribunal de Justiça de Alagoas decidiu pela interdição do empresário. A decisão foi dos desembargadores Pedro Augusto, Kléver Loureiro e Elisabeth Carvalho. Além da interdição, os desembargadores também decidiram nomear a filha de JL, Maria de Lourdes Lyra, a Lourdinha Lyra, como curadora com poderes para fiscalizar a massa falida.

De acordo com a decisão, Lourdinha passa a assumir as funções de seu pai, ou seja, administrar os bens do empresário, o patrimônio existente, além fiscalizar atos da administração da massa falida.

A decisão foi tomada a partir de processo movida por ela e outros filhos do empresário desde meados de 2016.

A família tem interesse em reverter o processo de falência em recuperação judicial, trabalhando para retomar a operação nas usinas do grupo em Alagoas. Atualmente, uma das usinas, a Uruba, está arrendada e em operação. As outras duas, Laginha e Guaxuma estão fora de operação. Destas, a Guaxuma pode ser arrendada nos próximos dias. As outras duas usinas do grupo, sediadas em Minas Gerais, foram vendidas em dezembro do ano passado em leilões eletrônicos.



Compartilhe