Política

Se disputar governo, Rodrigo diz que não será para atender “anseios de terceiros”


Redação
Fonte: www.edivaldojunior.com.br

17/04/2018 10h45

O presidente estadual do PSDB prometeu apresentar o nome do candidato tucano ao governo até o próximo mês de maio. Rui Palmeira não deu pistas do “escolhido”, mas nos bastidores se sabe que o “grupo de oposição” aposta todas as suas fichas num só nome – o de Rodrigo Cunha.

Deputado estadual pelo PSDB, bem avaliado, Rodrigo pode disputar a Câmara dos Deputados e chegou a ser lançado para o Senado por Téo Vilela – quando Rui Palmeira ainda era pré-candidato ao governo - mas a sugestão não prosperou.

Se aceitar o desafio, Rodrigo poderá dividir o palanque com o senador Benedito de Lira (PP), que vai para a reeleição e com outros nomes mais tradicionais da política.

Não é, para ele, decisão fácil. Trocaria a possibilidade de uma eleição bem mais tranquila para deputado, por uma disputa em que teria pequenas chances de reverter o favoritismo do atual governador, Renan Filho (MDB).

Rodrigo avisa que está ponderando e ainda não chegou a uma decisão: “Uma decisão desse tamanho tem que ser bem ponderada. Meu nome foi colocado como opção para governo há menos de um mês. Eu entendo a ansiedade de todos, mas não tenho como decidir dar um passo tão importante de uma hora para outra, para atender os anseios de terceiros”, enfatiza.

Nas entrelinhas, o deputado tucano deixa claro que não vai ceder a pressões. E nem tem pressa de definir ou não uma candidatura ao governo. A ansiedade, ao que parece, é maior para quem está “precisando” de um palanque

Seja como for, o tucano emenda: “Venho construindo minha caminhada com independência e não quero e nem posso perder isso agora. Coragem não falta, mas ainda estou avaliando todos cenários possíveis, principalmente as candidaturas majoritárias”, diz.
“Meu compromisso maior é com a população e não com os políticos”, enfatiza.



Compartilhe