Política

A receita de candidato ao Senado de AL contra estupros: “arme as mulheres”


Redação
Fonte: Jornal de Alagoas

08/07/2018 22h49

Pré-candidato ao Senado e presidente do PSL em Alagoas, o policial federal Flávio Moreno quer acabar com o estatuto do desarmamento. Para ele, armar a população pode ser uma maneira eficiente de reduzir a violência.

“As pesquisas e os índices de violência após 2003 comprovam que a solução imediata para defesa das mulheres, das famílias, dos comerciantes, dos produtores rurais e cidadão de bem contra a violência rotineira é a revogação do Estatuto do Desarmamento, que entrou em vigor em 2003, contudo não fez diminuir a violência no país, conforme aponta o 11º Anuário Brasileiro de Segurança Pública”, afirma Moreno.

O pré-candidato do PSL acredita que armar as mulheres seria a maneira mais eficiente para diminuir os estupros contra mulheres. Para reforçar seus argumentos, ele cita alguns dados: “Nos EUA, pesquisas apontam que 200 mil mulheres todos os anos se livram do estupro e abusos sexuais por possuírem armas em casa e no seu dia a dia. Já no Brasil, 50 mil mulheres são estupradas todos os anos, segundo os registros policiais apontados pelo Atlas da Violência 2018, podendo chegar em 300 a 500 mil mulheres e crianças violentadas anualmente, devido a subnotificação”, afirma.

Flávio Moreno diz ainda que a esquerda vem incutindo na cabeça do cidadão de bem que a solução é o desarmamento. “Isso é uma grande mentira”, enfatiza, acrescentando que “o direito a legítima defesa e segurança é constitucional e legal. A segurança pública é direito e responsabilidade de todos, assim como, a vida, propriedade e integridade física. Esses direitos universais não podem ser exercidos sem o direito de defesa garantido pelo porte de arma. A revogação do estatuto do desarmamento urge”.

O pré-candidato do “partido de Bolsonaro”, argumenta que o estatuto do desarmamento é inconstitucional. “Se a segurança pública é direito e responsabilidade de todos como pode o cidadão exercer esse direito desarmado? Não pode. Portanto, o estatuto do desarmamento é inconstitucional e deve ser revogado”, afirma, citando ainda o Art. 144: “A segurança pública, dever do Estado, direito e responsabilidade de todos, é exercida para a preservação da ordem pública e da incolumidade das pessoas e do patrimônio, através dos seguintes órgãos”.

Para reforçar sua tese Flávio Moreno tem divulgado através das redes sociais uma arte (foto) em que compara os “conselhos” da esquerda e da direita para o combate ao estupro.

Flávio Moreno (foto: divulgação)


Compartilhe