Política

Senado em AL segue com disputa acirrada


Redação com Agência

07/08/2018 16h52

A disputa pelo governo do estado só tornou-se competitiva no último domingo (5), quando Fernando Collor (PTC) confirmou seu nome na disputa. Porém, as duas vagas no Senado seguem com disputa acirrada, depois de nomes especulados, lançados, retiradoe e confirmados, contamos agora com o saldo de sete candidaturas.

Os candidatos ao Senado são: 

Renan Calheiros (MDB) e Benedito de Lira (PP) que tentam reeleição; 

Rodigo Cunha (PSDB)

Maurício Quintella (PR)

Cícero Albuquerque (PSOL)

Osvaldo Maciel (PCB) 

Flávio Moreno (PSL)

Independência

Rodrigo Cunha, atualmente deputado estadual, pretende fazer uma campanha ao Senado distante da campanha geral da coligação encabeçada pelo senador Fernando Collor. Ao site Tribuna Hoje, Rodigo voltou a afirmar que busca independência e quer mostrar para Alagoas que há opção. “Quem acompanha minha vida pública e, principalmente, meu mandato, sabe que sempre busquei coerência e uma total independência. Então, minha campanha será focada nisso. Farei minha campanha ao Senado, que é duríssima, e não irei contra aos outros e sim ao que as pessoas pedem. Será difícil conseguir volume suficiente para que Alagoas saiba que há opção. Já sabia que seria assim desde o início”.

O candidato disse ainda que ocorreram novas tentativas de que ele disputasse o governo do estado, mas essa foi uma ideia descartada pois dificultaria a independência que ele sempre buscou. 

Eudócia Caldas (PSB), ex-prefeita de Ibateguara e mãe do deputado federal João Henrique Caldas - JHC (PSB), será a primeira suplente de Rodigo Cunha. PSB esse que decidiu não lançar candidatura majoritária em Alagoas e compor a coligação capitaneada pelo PSDB e pelo PP, também fazem parte o PTC, PROS e DEM.



Compartilhe