Política

Eleição de AL será feita com palanque aberto para presidente


Com informações de agência
Fonte: Da redação

09/08/2018 19h47

As eleições 2018 prometem ser uma grande mistura de legendas nas coligações e os filiados já divulgaram que podem ou não seguir como manda o figurino. Essa será a eleição do “palanque aberto”. Aqui e acolá, até alguns candidatos já divulgaram que não pretendem seguir o voto nos arranjos que fizeram.

O deputado federal Maurício Quintella (PR), que é candidato ao Senado, compondo chapa governista, já deixou claro que irá votar em Geraldo Alckmin (PSDB) para a presidência da República. “É uma decisão nacional do meu partido e minha pessoal”, afirmou o candidato ao senado, em entrevista divulgada pelo jornal Tribuna Independente.

Além de Quintella, o governador Renan Filho e o senador Renan Calheiros, que fazem parte do MDB, também não apoiam o candidato emedebista, Henrique Meirelles. Pai e Filho já declararam abertamente os votos no ex-presidente Lula (PT) ou quem ele indicar.

Quintella lembra que, na formação da chapa emedebista de Alagoas, há também muitos outros candidatos que não devem apoiar o candidato do MDB à presidência. Segundo ele, o acordo dentro da chapa governista é palanque aberto para presidente. “Regis [Cavalcante, PPS] vota em Alckmin, Ronaldo [Lessa, PDT] em Ciro Gomes…”, ressaltou o candidato a senador pelo PR.

Geraldo Alckmin estará no palanque da oposição em Alagoas, já que o seu partido PSDB está na chapa para governador com Fernando Collor de Mello (PTC). A legenda tucana lançou o nome do vereador Kelmann Vieira para vice, mas muitos tucanos alagoanos também já divulgaram que não pretendem votar em Collor nas eleições 2018, mas vão seguir voto tucano para a presidência.

 



Compartilhe