Política

Renan e Biu ganhariam para o Senado, aponta pesquisa


Redação
Fonte: Jornal de Alagoas

11/08/2018 18h00

Nesta sexta-feira, 10, o jornal Tribuna Independente publicou os dados completos da pesquisa que está registrada na Justiça Eleitoral com número AL-09280/2018. Num cenário anterior as convenções do último domingo, o governador Renan Filho (MDB) liderava para o governo com 51% contra 13% de Fenando Collor (PTC). A pesquisa foi realizada pelo Ibrape, de 18 a 22 de julho com 2 mil pessoas em todo o estado de Alagoas. Sem maiores explicações, o resultado só foi liberado essa semana.

A margem de erro desta pesquisa do Ibrape, para governador, senador, deputado federal e presidente da República, é de 2,19% para mais ou para menos. O intervalo de confiança é de 95%. Os números para o governo foram antecipados pelo Jornal de Alagoas, na última quarta-feira, 8. Além da corrida para o governo, o Ibrape também levantou a intenção de votos para o Senado.

Este ano, serão disputadas duas vagas para o Senado. De acordo com a pesquisa, os atuais senadores Renan Calheiros (MDB) e Benedito de Lira (PP) seriam reeleitos. A pesquisa totalizou o primeiro voto, o segundo voto e o resultado geral para o Senado.

Renan teve 25% das intenções no primeiro voto, enquanto Biu de Lira ficou com 18%. Entre os nomes apresentados ao eleitor, Rodrigo Cunha (PSDB) teve 9%, seguido de Maurício Quintella, com 7%. João Caldas (PSC) 3%. Flávio Moreno (PSL) e Omar Coelho (Podemos) tiveram 1% cada. Indecisos somaram 12% e brancos e nulos 24%.

No segundo voto Benedito de Lira ficou com 13%, Renan 12%, Maurício 11% e Rodrigo 9%. João Caldas ficou 5%; Flávio Moreno 2% e Omar Coelho em 1%. Indecisos somaram 18% e brancos e nulos 29%.

No resultado geral, a soma dos dois votos, Renan Calheiros lidera com 37%, seguido de Benedito de Lira com 31%. Maurício e Rodrigo Cunha empataram numericamente com 18%, João Caldas ficou com 8%; Flávio Moreno, 3%; e Omar Coelho, 2%. Indecisos, 12%; e brancos e nulos, 24%.

Cenário inalterado

O cenário para o Senado hoje é praticamente o mesmo de antes das convenções, diferente da disputa pelo o governo que mudou sensivelmente após a entrada de Collor. Até a realização da pesquisa, Collor não tinha entrado na disputa, enquanto os nomes para o Senado eram pré-candidatos, tendo sido confirmados em sua maioria.

 



Compartilhe