Política

Bolsonaro cai de posição em pesquisas no Nordeste


Redação com Agência
Fonte: Gazetaweb

12/09/2018 17h00

De acordo com a pesquisa Ibope divulgada nesta terça-feira (11), o candidato do PSL, Jair Bolsonaro, caiu de colocação, passando agora para o terceiro lugar, no Nordeste, segundo maior colégio eleitoral do país.

A pesquisa divigulgada pelo UOL mostrou que o candidato do PDT, Ciro Gomes manteve a liderança no Nordeste, mas oscilou de 20% para 18% no região.

Fernando Haddad, confirmado como o candidato do PT, nesta terça-feira, cresceu nas intenções de voto entre os nordestinos de 8% para 13%. Marina Silva (Rede) caiu de 13% para 11% na região. Embora Jair Bolsonaro tenha crescido nacionalmente, teve desempenho inverso no Nordeste, passando de 15% para 12%.

No Sudeste, Bolsonaro se mantem líder com 29% das intenções de voto, acima dos 24% conquistados na semana anterior. O ex-governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB) ficou estagnado em 10%. Marina Silva, preferida por 11% dos eleitores no território, e agora é citada por 9%. Ciro tem 8%, mesmo índice que registrou há uma semana. Haddad segue com 6% de preferência na região em que foi prefeito da capital paulista.

O maior crescimento de Bolsonaro na pesquisa Ibope se deu na região Sul, onde o candidato do PSL subiu de 23% para 37%. Quem caiu na região foi Marina, que variou de 10% para 6%. Ciro oscilou para baixo, indo de 10% para 8% no mesmo território. Entre os sulistas, Alckmin é preferido por 8% dos eleitores, mesmo índice registrado na semana anterior.

Na soma das regiões Norte e Centro-Oeste, Bolsonaro tem a preferência de 31% dos entrevistados pelo Ibope. No último dia 5, o índice do candidato do PSL nesses locais era de 26%. Ciro aparece em segundo lugar nas duas regiões com 10% (tinha 13%), Marina caiu de 14% para 9% e Haddad subiu de 3% para 6%.

O Ibope foi às ruas entre os dias 8 e 10 de setembro e ouviu 2.002 eleitores aptos a votar nesta eleição. A margem de erro estimada é de dois pontos porcentuais para mais ou para menos, com um nível de confiança de 95%. A pesquisa está registrada no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) sob o protocolo BR-05221/2018.

Veja aqui a pesquisa nacional



Compartilhe