a Renan Filho defende a candidatura do seu tio na ALE | Jornal de Alagoas

Política

Renan Filho defende a candidatura do seu tio na ALE


Fonte: Blog do Edvaldo Junior

04/01/2019 13h54

O deputado estadual Marcelo Victor (SD) deve ser eleito presidente do Poder Legislativo de Alagoas no próximo dia 1o de fevereiro, quando será iniciada a nova legislatura na Casa de Tavares Bastos.

O placar da eleição já estaria definido, apesar das “conversas” que o governador Renan Filho (MDB) vem tendo nos últimos dias com os parlamentares estaduais.

O governo, segundo vários interlocutores, defende a candidatura do deputado estadual Olavo Calheiros (MDB), que é tio do governador

Nos bastidores, circula a informação de que o Renan Filho teria “atrasado” a nomeação da equipe do novo governo, que será feita no final de janeiro ou início de fevereiro, em função da eleição da mesa diretora da Assembleia Legislativa de Alagoas.

A estratégia não parece ter funcionado até agora. Uma foto que passou a ser divulgada nas redes sociais nessa quarta-feira, 2, revela que Marcelo Victor deve ter de 20 a 21 dos 27 votos possíveis na eleição da mesa diretora.

Reunidos num hotel do litoral sul, num encontro de apoio a Marcelo Victor, 19 deputados posaram para a foto. Na prática é uma declaração de voto, embora o voto na eleição para presidente da ALE seja secreto.

Composição ainda é possível

O grupo que apoia Marcelo Victor é formado majoritariamente por deputados da bancada do governo. Eles definem a escolha do presidente como “questão interna” do Legislativo.

Não é, mas pode se transformar num movimento contra o governo. Tudo vai depender dos sinais que forem emitidos do Palácio dos Palmares.

Um dos líderes do movimento avisa que se lançar candidato contra MV, Renan Filho perderá a disputa. “É questão fechada. Ninguém vai mudar mais”, afirma.

O clima no grupo é mais ameno do que parece. E a aposta de alguns ainda é no entendimento. “Desde o início defendemos uma composição, até porque o Marcelo apoiou e apoia o governador. A candidatura não é contra o Palácio. Ainda existe possibilidade de diálogo, seja antes ou depois da eleição. O ideal, claro, é que esse entendimento seja feito o quanto antes”, relata um deputado da base do governo.

Vários dos deputados presentes ao encontro tem cargos no governo (pelo  menos 5 tem indicações importantes). A maioria, no entanto, é formada por independentes ou de oposição   (7 parlamentares), deputados de primeiro mandato (7 ao todo, que ainda não fizeram indicações para cargos no Executivo, mesmo fazendo parte da base do governo), o que reduz a influência palaciana na votação do próximo dia 1o.

Quem foi

Na foto do encontro, em que Marcelo Victor aparece ao centro sorrindo estão 19 deputados. Em pé, da esquerda para a direita, estão Davi Davino Filho, Inácio Loiola, Marcos Barbosa, Dudu Ronalsa, Léo Loureiro, Davi Maia, Paulo Dantas, Chico Tenório, Ângela Garrote, Tarcizo Freire, Flávia Cavalcante, Marcelo Beltrão, Yvan Beltrão.

Sentados, da esquerda para a direita, estão: Galba Novaes, Cabo Bebeto, Marcelo Victor, Cibele Moura, Bruno Toledo, Gilvan Barros.

Há ainda informações de que os deputados Jó Pereira e Sílvio Camelo também integram grupo que chegaria, assim, a 21 deputados.

Quem não foi

Além de Olavo Calheiros, não foram ao encontro os deputados Ricardo Nezinho, Antônio Albuquerque, Jairzinho Lira, Fátima Canuto, Breno Albuquerque.



Compartilhe