Política

Não vou permitir aqui o que aconteceu em Mariana e Brumadinho, diz governador



13/05/2019 12h46

Em entrevista à TV Gazeta governador, Renan Filho disse, na manhã desta segunda-feira (13), que o Estado ainda não colocou no papel o impacto econômico para a paralisação da Braskem, mas voltou a defender a manutenção das atividades da mineradora em Alagoas em áreas não habitadas. Ele disse que a gestão pretende criar as condições econômicas para a empresa continuar funcionando, mas afirmou que "não deve permitir aqui o que aconteceu em Mariana ou Brumadinho".

Durante o lançamento do programa Dose Certa, o governador destacou que a prioridade nesta situação que envolve os problemas no Pinheiro e adjacências, causados pela exploração de sal-gema, é a preservação de vidas. No entanto, ele diz acreditar ser importante a presença da Braskem para movimentação da economia local.

"Eu defendo a continuação das atividades [da Braskem] desde que não prejudique o meio ambiente e as pessoas. Existem áreas não habitadas no estado que permitem a atividade de mineração da empresa. A Braskem vai descontinuar a atividade de cloro-soda, que é o que diretamente depende da sal-gema. Vamos discutir com a mineradora, a manutenção do funcionamento das entorses para garantir a geração de emprego", avalia. 

Renan Filho salientou que a pasta de Meio Ambiente vai trabalhar no sentido de preservar o direito do cidadão, que é a segurança nos bairros onde a Braskem opera. "Isto vai ser um grande diálogo, com muita transparência e eu vou prioritariamente defender vidas. Não vou permitir aquilo que ocorreu em Mariana e Brumadinho e a partir daí criar as condições econômicas para a Braskem continuar sua exploração, desde que não seja em área pública. Pelo que fui informado previamente, há espaço para a Braskem exercer a mineração em áreas não urbanas, que é o ideal".

 

 

____

Fonte: Gazeta Web 



Compartilhe