a Ronaldo Lessa pode deixar o governo de Renan Filho | Jornal de Alagoas

Política

Ronaldo Lessa pode deixar o governo de Renan Filho


Fonte: Blog do Edivaldo Júnior

01/06/2019 21h23

O atual Secretário da pasta de agricultura, Ronaldo Lessa, está passando por uma fase de insatisfação no seu partido, o PDT.  A informação foi divulgada hoje (01) no Blog do Edivaldo Júnior/Gazeta Web.

 

A redução nos cargos do governo e a falta de apoio nas ações da Seagri, seria uns dos motivos.

 

 

“A redução de cargos é um componente forte, mas as condições de trabalho são tão importantes quanto”, aponta o secretário de Agricultura do Estado.

 

Sobre ocupar a pasta da Agricultura:

 

“Existe no PDT uma corrente de pensamento contrário a nossa participação no governo. A direção Nacional solicitou que devamos refletir sobre o assunto, embora eles também, como nós, acham que essa posição não é majoritária”, pondera.

 

 

Lessa demonstra preocupação com um eventual desgaste do PDT e de seu nome, na véspera das eleições de 2020. “O governo alega que devemos começar a avaliar as condições a partir de junho”, aponta. “Não só a Seagri, mas todas as secretarias. Vamos aguardar para compreender melhor”, avisa.

 

Eu conversei com ele sobre todas estas questões na quinta-feira, 30. Lessa confirma a pressão do PDT, mas reforçou que o partido estaria “dividido”, na medida que um grupo influente de pedetistas defende a permanência no governo.

 

A julgar pelo que o secretário de Agricultura disse em entrevista ao jornalista Davi Soares, nessa sexta-feira, 31, a decisão pela permanência ou não no governo será tomada durante o decorrer o mês de junho – que começa hoje.

 

Trajetória no governo

 

Ex-prefeito de Maceió, ex-governador de Alagoas, Ronaldo Lessa (PDT) não conseguiu se reeleger deputado federal. Ficou na primeira suplência da coligação que ajudou a eleger o governador Renan Filho (MDB) em 2018.

 

O aceno inicial – tratado como compromisso – era abrir uma vaga para Lessa na Câmara dos Deputados. Os deputados federais sondados para assumir cargos em Alagoas (Marx Beltrão, do PSD e Nivaldo Albuquerque, do PTB) topariam, dependendo da Pasta ou de algumas condições. As conversas não evoluíram.

 

Para Ronaldo Lessa sobrou a opção de assumir uma Secretaria de Estado. Pelo que foi posto, ele topou assumir a Agricultura. A nomeação saiu em 1o de março deste ano.

 

Passados apenas dois meses, os rumores de o PDT estão de malas prontas para desembarcar do governo crescem a cada dia.

 

A insatisfação começou com a demora na nomeação das indicações feitas pelo partido (externada publicamente) e se acentuou com a redução do número de indicações. O grupo perdeu metade. Eram 80 cargos em vários órgãos e agora não chegam a 40.

 

Mas esses não seriam os maiores problemas. Na Seagri, Lessa tem enfrentado alguns desgastes inesperados. A pasta está sem pessoal e tem dificuldades operacionais crescentes. Além disso, o ex-governador não conseguiu levar adiante programas importantes, que eram executados até o ano passado, a exemplo da distribuição de sementes. O governo também está em atraso com o pagamento do programa do leite e recursos para tocar outros programas.

 

O cenário é diferente, confessa Lessa, do combinado com o governador. Isso somado à pressão do PDT nacional e de grupos do PDT alagoano pode resultar no desembarque de Ronaldo Lessa do governo de Renan Filho. É isso ou a Seagri deve ganhar maior peso a partir de agora. 



Compartilhe