a Cidades Inteligentes: Tema obrigatório nas eleições em AL | Jornal de Alagoas

Política

Cidades Inteligentes: Tema obrigatório nas eleições em AL


Fonte: Blog do Edivaldo Junior

08/10/2019 09h18

O conceito de "Smart city", ou cidades inteligentes, está em alta e vem ganhando espaço entre novos líderes alagoanos, candidatos ou não a algum cargo público.

O empresário Ricardo Santa Ritta Filho gosta de falar de cidades inteligentes e vem apresentando em suas redes sociais alguns exemplos práticos. Nesta segunda-feira, ele sugeriu construir uma ciclovia entre o viaduto da PRF e a praça Centenário, aproveitando o canteiro central das avenidas Fernandes Lima e Durval Goes Monteiro.

É o tipo de solução que cabe no conceito de ‘smart city’, que pode ser definido (entre outras variações) como “Sistemas de pessoas interagindo e usando energia, materiais, serviços e financiamento para catalisar o desenvolvimento econômico e a melhoria da qualidade de vida. Esses fluxos de interação são considerados inteligentes por fazer uso estratégico de infraestrutura e serviços e de informação e comunicação com planejamento e gestão urbana para dar resposta às necessidades sociais e econômicas da sociedade”.

O tema também deve ganhar força entre os futuros candidatos a prefeito do PSL. O partido promoveu, recentemente, palestra sobre o tema com Jorge Barros, presidente nacional Instituto Smart City Business. A organização internacional está presente em mais de 10 países.

O representante do instituto em Alagoas, consultor André, também participou do evento apresentando os conceitos para possíveis candidatos às prefeituras alagoanas pelo PSL.

Ainda considerado como novo no país, o conceito de ‘smart city’ vem ganhando adeptos em todo o Brasil. Até as próximas eleições, daqui a um ano, o tema vai ganhar força entre todos os candidatos e deve fazer parte do programa de todos os candidatos. Todos, ou pelo menos os que queiram dar uma cara de inovação em suas campanhas.

Veja texto produzido pela assessoria do PSL em Alagoas

PSL Alagoas quer transformar municípios em Cidades Inteligentes e gerar empregos

O Instituto Smart City Business, organização internacional presente em mais de 10 países, através de seu Presidente Nacional Dr. Jorge Barros, junto com o representante de Alagoas, o consultor Dr André Marroquin ministraram palestra para os possíveis candidatos às prefeituras alagoanas pelo PSL.

O Instituto Smart City Business vem conversando com os pré-candidatos do PSL. A convite do Presidente Estadual do PSL Alagoas, Flávio Moreno, a primeira apresentação pública do Instituto em Alagoas ocorreu no Encontro Estadual do PSL, no dia 17 de agosto, no Atlantic Maceió Mar Hotel.

Os palestrantes informaram que o Governo Federal disponibilizou em 2018, R$ 15 bilhões no BNDS para projetos das Cidades Inteligentes. Contudo, até hoje por falta de projetos das prefeituras, nenhuma cidade obteve tais recursos para aplicação. O Instituto presta serviços ao Governo Federal para desenvolvimento das cidades.

Na palestra, os participantes puderam conhecer sobre a legislação, formatação e as várias aplicações para o desenvolvimento dos municípios e melhoria da qualidade de vida do cidadão através das Cidades Inteligentes, já utilizadas em cidades como Vitória, São Caetano, Curitiba, Londres e outras cidades pelo mundo.

Os membros do Instituto promoveram também visita a entidade dos Policiais Federais de Alagoas.
A transformação da cidade deve ser um processo contínuo, integrado e participativo. A vocação natural de Maceió e Alagoas por exemplo é o turismo.

O Presidente do PSL Alagoas, Flávio Moreno, diz: “já propomos a criação da Zona Franca do Turismo e o Plano Diretor do Turismo, com pólo em Maceió como forma de gerar desenvolvimento e empregos. Isso, usando o modelo das Smart City. Arapiraca também tem sua força, todas cidades tem um potencial. A cadeia produtiva pode acompanhar esse desenvolvimento em cidades inteligentes, da mobilidade urbana ao saneamento e fornecimento de água, das novas instalações, construção de resorts, cassinos a segurança pública e geração de empregos. O desenvolvimento precisa ser constante e feito de forma que se torne sustentável, gerando equilíbrio, integração, oportunidades e empregos, principalmente. Funciona onde é aplicado”.



Compartilhe