a Crise no DEM pode interferir nas eleições de 2020 em AL | Jornal de Alagoas

Política

Crise no DEM pode interferir nas eleições de 2020 em AL


Fonte: Blog do Edivaldo Junior

26/11/2019 09h49

O DEM (Democratas) vêm se transformando numa das siglas mais influentes e poderosas do Brasil. O partido se impõe no Congresso Nacional e tem planos de expansão. 

Já em Alagoas, a situação do Democratas não é das melhores. O único deputado estadual do DEM, Davi Maia, parece cada vez mais incomodado com as articulações do partido, sem seu consentimento.

A crise mais recente foi aberta com a filiação de Gaby Ronalsa ao DEM de Maceió, mediada pelo presidente do diretório estadual, o secretário de Saúde da capital e ex-deputado federal, José Thomaz Nonô.

O problema é que a filiação de Gaby, que é irmã do deputado estadual Dudu Ronalsa (PSDB), não foi combinada com Davi Maia, que é o presidente do DEM em Maceió.

Maia circulou nessa segunda-feira (25), na Uveal, durante eleição de sua nova diretoria. E lá revelou que ficou contrariado com a decisão de Nonô.

“Estou fora”. O desabafo do deputado, ouvido por vários interlocutores, foi em relação a articulação da chapa de vereadores em Maceió.

“Ele disse que ficou muito contrariado com a filiação da Irmã do Dudu no Democratas e que tinha dito que estaria fora da organização da Chapa”, disse um interlocutor ao Blog do Edivaldo Júnior.

Davi vinha montando uma chapa “em estado avançado” que tinha entre outros nomes vários vereadores de mandato (Aparecida de Luiz Pedro, Simone, Siderlany, Ib Brêda e Luciano Marinho).

Mas, segundo o interlocutor, com a filiação da Irmã do Dudu “pelo diretório estadual, ele não aceitaria a intervenção e que por isso tinha avisado que quem quiser chapa pra interesse próprio que organize”.

Dudu e Davi fazem parte do grupo de Rui Palmeira, se relacionam bem na ALE, e devem entrar em consenso. Mas nada que conversem deve contornar a crise já instalada no DEM.

Intervenção

Davi Maia e Nonô, apesar de uma antiga parceria, parecem falar linguagens diferentes na política atual de Maceió.

Se depender de Davi Maia, o DEM apoia o pré-candidato do PSB à prefeitura da capital, João Henrique Caldas.

Nonô, que pode ser candidato a prefeito, tem conversado com outros grupos e não demonstra interesse de parceria com JHC. 

A filiação de Gaby Ronalsa é apenas mais um capítulo da crise aberta no DEM, que pode atrapalhar os planos do partido em Maceió.

Lembrando que o diretório do DEM na capital é definitivo. Em outras palavras, quem “decide” é Davi Maia – que só pode ser afastado por intervenção. A medida considerada drástica seria a gota d’água e poderia desaguar na saída justificada de Davi Maia do DEM.



Compartilhe