Pop & Arte

Maceió se despede do carnaval com atrações nos bairros


Fonte: Ascom Maceió

06/03/2019 16h44

Apesar do clima de despedida, frevo e alegria não faltaram no último dia de carnaval em Maceió. Com programação desde sábado (02), as atrações contagiaram os foliões em oito regiões até a madrugada desta quarta-feira (06). A Prefeitura realizou, por meio da Fundação Municipal de Ação Cultural (FMAC), mais um carnaval descentralizado na capital para manter a tradição nos bairros.

SambaLeLê, Dhynno Black e a Orquestra de Frevo do Jacintinho subiram ao palco na Praça do Mirante. A participação dos foliões surpreendeu o organizador do polo, Zé do Boi. “Esse ano o carnaval superou a expectativa, com grande público e muita animação. Até no intervalo entre as atrações, o frevo conseguiu animar o povo. A gente só tem agradecer a Prefeitura por esse movimento no bairro”.

A estrutura do evento foi aprovada pela moradora Gleice Kelly. “Foi muita boa a organização, a estrutura e a segurança. É um carnaval pra toda família curtir”, descreveu Kelly.

Resgate e tradição

A realização do polo em Fernão Velho resgata e mantém a tradição. Ricardo Melo carrega as lembranças de infância e, mesmo morando hoje no Clima Bom, não deixa de participar do carnaval no bairro. “Aqui voltou o que era antigamente. Fico feliz pela organização e por curtir o carnaval verdadeiro que é com a participação do povo”, expressou Melo.  Já Sônia Ferreira juntou a família para curtir e se despedir do Rei Momo. “Foi ótimo aqui por ser tranquilo e o povo fica à vontade. A gente vê famílias reunidas e todo mundo aproveita”, disse a foliã.

“O Fernão Velho é um dos lugares mais calmos e sempre é reconhecido pelo povo festeiro. O bairro tem mais de 170 anos de história e essa tradição já está enraizada no coração do povo. Agradecemos a Prefeitura por mais uma vez garantir o polo com toda estrutura”, expôs o morador. “A iniciativa também beneficia o mercado local, com os vários ambulantes que aproveitam para negociar, um meio fazer uma renda extra nesse momento de crise”, lembrou Matos.

Apoio         

As instituições sem fins lucrativos, que organizaram a programação no Pontal, Ponta Grossa, Pajuçara, Ipioca, Jacintinho, Benedito Bentes, Bebedouro e Fernão Velho, receberam ajuda financeira por meio de chamadas públicas para pagamento de cachês e custos de produção. Além disso, o Município investiu na estrutura dos polos carnavalescos e das prévias. A Prefeitura também apoiou 54 blocos, dois coletivos culturais e o desfile de escolas de samba.



Compartilhe