a Produtores da CPLA utilizam IATF em busca de eficiência na reprodução | Jornal de Alagoas

Rural

Produtores da CPLA utilizam IATF em busca de eficiência na reprodução


Redação
Fonte: Assessoria

04/02/2019 20h30

Os pequenos produtores da Associação de Pequenos Produtores de Leite de Mar Vermelho (APROLMAVE), que é  ligada à Cooperativa de Produção Leiteira de Alagoas (CPLA), investem na Inseminação Artificial em Tempo Fixo (IATF) com objetivo de promover eficiência reprodutiva e melhoramento genético no rebanho.

Há quatro anos utilizando a IATF, os produtores usam materiais sêmens de touros provados em qualidade genética. O investimento  fez o nível de produção aumentar gradualmente, registrando animais produzindo mais  de 20 quilos por lactação.

 “Os frutos desse trabalho são as vacas jovens obtendo alta produção. Com mais eficiência reprodutiva, temos maior produção de leite, ganho de peso e reposição”,  informou o presidente da ALPROMAVE,  José Pixuta.

Um nova rodada de IATF foi realizada na última quarta-feira, dia 23 de fevereiro,  em 13 vacas de propriedade de cinco produtores.  A primeira etapa consistiu na aplicação de hormônios e preparo animal. A segunda, que acontecerá sábado, 2 de fevereiro,  fará a inseminação. 

A Associação conta com uma médico veterinário na condução do processo de reprodução, assistência e  planejamento técnico.  “É um sistema totalmente viável economicamente,  que melhora a fertilidade e ajuda a aumentar a taxa de prenhez com  uma gestação rápida entre as fêmeas”, explicou José.

Apoio

O planejamento  genético  da ALPROMAVE foi possível por meio de uma parceria entre a CPLA e da Secretaria de Estado da Agricultura (Seagri/AL) na aquisição dos sêmens.  O presidente da CPLA, Aldemar Monteiro,  enfatiza a importância de manter esses instrumentos  à disposição dos pequenos produtores.

“A agricultura familiar vem ocupando seu espaço na pecuária moderna, buscando converter seu trabalho em produtividade e eficiência reprodutiva. A CPLA tem buscado disponibilizar essas ferramentas para que, inclusive, o produtor tenha mais controle sobre todos os processos produtivos”,  ressaltou Monteiro.



Compartilhe