Rural

Fetag/AL recebe apoio de Marx Beltrão sobre reforma na previdência


Fonte: Blog do Edivaldo Junior

08/03/2019 13h10

A Federação dos Trabalhadores Rurais e Agricultores e Agricultoras Familiares de Alagoas (Fetag/AL) recebeu o apoio do coordenador da bancada federal de Alagoas no Congresso, Marx Beltrão (PSD-AL).

Embora defenda a reforma da previdência, o deputado defende mudanças na proposta que atendem os interesses dos trabalhadores rurais.

Nesta quinta-feira, 7, o parlamentar foi recebido  pelo presidente,  Givaldo Teles e vários outros diretores da Fetag-AL, na sede da entidade, em Maceió.

Durante a reunião, a federação pontuou os possíveis impactos negativos no caso da aposentadoria rural, a serem gerados com a exigência de tempo mínimo de contribuição para 20 anos e idade mínima de 60 anos para homens e mulheres, além da criação de uma contribuição R$ 600,00 por ano.

A entidade também manisfestou a insatisfação contra a MP 870, que extingue o Conselho Nacional de Alimentação (Consea) e a MP 871, que retira dos sindicatos rurais a emissão das declarações de comprovação da atividade rural.

“Precisamos de uma reforma que preze pela qualidade de vida e não que vá afundar o trabalhador rural na precariedade abaixo da linha da pobreza e da fome. O agricultor já vem enfrentando cerca de sete anos de estiagem, acumulando prejuízo, sem produção e ainda vai ter de contribuir com um valor fora de sua realidade. Isso é terrível. É preciso pensar a especificidade de cada setor”, disse Givaldo Teles, durante o encontro.

Como coordenador da bancada, Marx Beltrão prometeu se empenhar para discutir os temas de forma coletiva e realizar uma audiência pública.

“Tem questões na reforma previdência que não valorizam profissionais, idosos e também o agricultor. É um tema muito complexo, que vai mudar a realidade dos brasileiros. Por isso estamos ouvindo todas as categorias com responsabilidade. Precisamos de uma reforma justa.. Fica claro que o homem e a mulher do campo precisam de tratamento diferenciado para terem seus direitos adquiridos”, declarou Marx Beltrão.

Privatização

A Federação ainda criticou, no encontro, o plano federal de fusão do Banco do Nordeste Brasileiro (BNB), um dos principais instrumentos de fomento ao setor produtivo agropecuário na região.

“Como deputado do Nordeste, é inadmissível que um banco de função social como o BNB seja privatizado ou fundido. Ele (o banco) é a única opção de crédito com juros baixo e carência acessível, principalmente na estiagem. Sem contar que tem participação importante nos empreendimentos turísticos e comerciais”, defendeu Beltrão.

Os impactos da reforma da previdência na agricultura familiar e as medidas provisórias lançadas pelo presidente Jair Bolsonaro vem sido discutidos pela Fetag/AL e bases sindicais em audiências públicas nas câmaras municipais e encontros com os agricultores. Um audiência no âmbito estadual será realizada com a participação da Federação na Assembleia Legislativa de Alagoas (ALE) na segunda-feira,11. 



Compartilhe