Turismo e Gastronomia

Alta temporada tem números negativos em relação a 2018


Fonte: Tribuna Hoje

27/03/2019 10h50

Encerrada a alta temporada, período que vai do início de dezembro até o fim do carnaval, a Associação Brasileira da Indústria dos Hotéis de Alagoas (ABIH-AL) divulgou os números gerais da taxa de ocupação. Embora tenha apresentado uma redução no número de ocupação dos hotéis associados, o número de leitos no Estado cresceu de 33.426 em 2017, para 34.379 em 2018.

Com belas praias, gastronomia diversificada, uma rica cultura e o povo hospitaleiro, Alagoas é sempre um dos destinos mais procurados para quem quer passar férias. Para o presidente da ABIH-AL, Milton Vasconcelos, a malha área ainda é um grande problema que interfere na vinda de turistas para Alagoas, pelo número de voos que afeta diretamente no valor da passagem.

Segundo a Infraero, o número de voos teve queda de 1,78% entre dezembro do ano passado e fevereiro deste ano. Foram registrados 4.370 pousos e decolagens. Já no período de dezembro de 2017 a fevereiro de 2018, foram 4.449 aeronaves no Zumbi dos Palmares.

“O único período em que tivemos taxa de ocupação superior ao mesmo período no ano passado, foi no carnaval, que cresceu de 87,60% para 90,72%, e foi quando tivemos novos voos para o destino sendo oferecidos”, destaca Milton.

Ainda segundo a Infraero, de dezembro de 2018 a fevereiro de 2019, foram registrados 627.619 passageiros, entre embarques e desembarques, no Aeroporto Internacional Zumbi dos Palmares. O número é apenas 0,93% superior ao fluxo registrado entre dezembro de 2017 e fevereiro de 2018.

Na economia, o turismo aponta como o segundo maior setor no Estado, perdendo apenas para o setor agropecuário. São milhares de empregos gerados devido suas atividades, que vão desde o taxista que pega o turista no aeroporto, passando pelo vendedor de coco, o ambulante, os agentes de passeios, os funcionários de restaurantes, bares e hotéis, além dos prestadores de serviço. Entre os associados da ABIH-AL, são mais de 4300 empregos gerados de forma direta.

“Alagoas precisa investir mais na promoção ação do destino. Para nos tornarmos ainda mais fortes, precisamos continuar essa união de força, entre segmento e poder público. Assim poderemos competir de igual com Fortaleza e Porto Seguro, que são destinos fortes na alta temporada”, afirma Milton Vasconcelos.

Os dados divulgados foram esses: dezembro de 2017 (77,95%) e dezembro de 2018 (76,88%); réveillon 2018 (92,00%) e réveillon 2019 (87,66%); janeiro 2018 (88,19%) e janeiro 2019 (85,14%); fevereiro 2018 (80,34%) e fevereiro 2019 (78,16%) e finalizando carnaval 2018 (87,60%) e carnaval 2019 (90,72%).

CHÁ DE MEMÓRIA

O Arquivo Público de Alagoas (APA) – órgão vinculado ao Gabinete Civil – chega à 30ª edição do já tradicional Chá de Memória. O evento ocorre nesta quarta-feira (27), às 16h, na sede do APA, em frente ao Porto de Maceió, em Jaraguá, com entrada gratuita.

Nesta edição, a convidada será a professora-doutora Juscyney Carvalho Santana, que abordará o tema “Tem preto de jaleco branco? Reflexões sobre as políticas afirmativas na educação superior e a persistência das desigualdades sociais e técnico-raciais na formação médica em Alagoas”.

Para o secretário-chefe do Gabinete Civil, Felipe Cordeiro, realizar a trigésima edição do Projeto Chá de Memória é sem dúvida uma grande satisfação para a equipe do Arquivo Público. “É uma das ações de fomento ao conhecimento da nossa história e o despertar do sentimento de alagoanidade”, ressalta Cordeiro.

Desde outubro de 2016, são realizados mensalmente encontros com personalidades de vários segmentos, abordando temas das mais diversas áreas que vêm despertando o interesse de um grande público dos mais variados níveis do conhecimento.

“São tantas as demandas que temos agenda fechada até o próximo ano, com parceiros e profissionais do poder público e privado. Temas sobre religiosidade alagoana, gastronomia, arquitetura, música, artes plástica e muito mais têm sido o nosso foco. Além de abrir as portas para a sociedade, o APA também se moderniza para oferecer melhores serviços aos pesquisadores e caminhar par e passo com entidades afins”, destaca a superintendente do APA, Wilma Nóbrega.

Recentemente, por conta dos 57 anos completados pelo APA, houve o lançamento do catálogo de um dos acervos fotográficos mais valiosos com as imagens do fotógrafo Luiz Lavenére, cujos negativos em vidro são únicos e pertencem ao Arquivo Público, agora, disponíveis para os alagoanos.



Compartilhe