Espaço para as ideias, a opinião e o pensamento dos alagoanos

Vitória de Arthur Lira em Brasília muda cenário político em Alagoas


Blog Opinião

02/02/2021 14h14

O resultado foi mais do que o esperado. Arthur Lira (PP-AL) é o novo presidente da Câmara dos Deputados. O parlamentar alagoano entra na linha de sucessão da presidência da república e terá o poder de pautar as decisões mais importantes no Congresso Nacional.

A eleição em primeiro turno, com 302 dos 513 votos possíveis, dá a Lira a liderança que precisa para comandar a Casa. O que ele deve fazer com a mesma habilidade que assegurou sua vitória. O principal compromisso é “democratizar” as decisões, transformando a Câmara do “eu” na do “nós”.

A vitória de Arthur Lira também terá reflexos – inclusive imediatos – na política alagoana. Até porque o poder central sempre foi um imã para políticos alagoanos.

Vários prefeitos de cidades do interior foram a Brasília acompanhar a votação na Câmara dos Deputados – inclusive Benedito de Lira (Barra de São Miguel), pai do novo presidente da Câmara. É só o começo da “romaria” de políticos alagoanos que veremos bater na porta do novo presidente pelos próximos dois anos.

A força de Lira, agora, vai muito além dos “afagos” de prefeitos. Como presidente da Câmara dos Deputados ele terá influência não só no PP, mas em vários outros partidos. E não apenas em um ministério, mas em toda a esplanada. Não só no Legislativo, mas em todos os outros poderes, inclusive no setor privado.

Com o peso do cargo, Lira aumenta a influência na política nacional e passa a ser um dos mais importantes “players” no processo político e eleitoral de Alagoas para 2022.

Lira já avisou a vários interlocutores que não pretende ser candidato majoritário nas próximas eleições. Tudo indica que vai disputar a reeleição de deputado federal – e talvez de presidente da Câmara dos Deputados. Mas o novo presidente do Legislativo terá candidatos ao governo e ao Senado e deve começar a construir, desde já, o caminho para tornar seu grupo como majoritário na política alagoana.

Não será uma caminhada fácil. Pela frente, Lira tem o grupo do governador e do prefeito de Maceió. A possibilidade de composição com o presidente da Câmara dos Deputados já foi ventilada tanto por Renan Filho quanto por JHC.

Uma composição com os grupos de JHC e Renan Filho, embora possível, é pouco provável no momento. A probabilidade maior seria a formação de uma aliança com o grupo majoritário na Assembleia Legislativa de Alagoas, que é liderado por Marcelo Victor.

Mas tudo indica que Lira vai seguir como está hoje. Deve apostar no fortalecimento de seu grupo – que tem, só no PP, quatro deputados estaduais e 28 prefeitos – e esperar o quadro se definir melhor para dar o próximo passo. Até lá o novo presidente da Câmara dos Deputados segue conversando com todo mundo, sem fechar a porta pra ninguém.

Alagoas

No discurso de posse, Lira lembrou de Alagoas: “quero agradecer a Alagoas e a meu povo por tudo que me ensinou, por toda sua sabedoria e generosidade que me ofereceu. Chego como nordestino que nunca esqueceu de suas origens”, disse lira, antes de “sentar nesta cadeira (a de presidente) pela primeira vez” e acrescentou “enquanto nela estiver ser a mesma pessoa e quando deixar (de ser presidente) ser com muita honra um dos 513 deputados da casa mais democrática do Brasil”.



Compartilhe
comentários