Esporte

Novo adiamento das Olimpíadas de Tóquio deve ser opção



16/06/2020 13h00

A organização das Olimpíadas de Tóquio pode mudar os planos iniciais de que não haveria um novo adiamento do megaevento. Nas últimas semanas, a ideia ventilada por dirigentes japoneses e pelo Comitê Olímpico Internacional (COI) era decidir até março do ano que vem ser os Jogos aconteceriam entre julho e agosto de 2021 ou seriam cancelados. Mas diante da incerteza sobre o controle da pandemia global de coronavírus e da crise econômica, Haruyuki Takahashi, membro do Conselho de Tóquio 2020, acredita que uma nova mudança de data deveria ser uma opção.

De acordo com a publicação japonesa Nikkan Sports, Takahashi defende a tese de que é possível esperar que a pandemia global de coronavírus seja controlada para encaixar as Olimpíadas no calendário ainda em 2021.

Uma coisa é certa: tanto COI quanto a organização japonesa dos Jogos trabalham com a certeza de que é inviável um adiamento para 2022, ano das Olimpíadas de Inverno de Pequim, da Copa do Mundo de futebol do Catar, do Mundial de Atletismo e dos Jogos da Commonwealth.

Membro do COI, o belga Pierre-Oliver Backerdi falou recentemente sobre um possível novo adiamento, mas foi em uma direcao contraria a de Haruyuki Takahashi.

"Hoje todo mundo tem certeza de que começará em 23 de julho de 2021. Seria impensável manter esse projeto em andamento por mais tempo, um ano que fosse, considerando os enormes custos e todas as milhares de pessoas envolvidas. Todas as federações esportivas precisam se adaptar ao adiamento dos Jogos. Não podemos prever uma reviravolta semelhante pela segunda vez", disse.

A situação do coronavírus no Japão não é das piores (17.427 infectados e 928 mortes). Mas no contexto global foram registrados até esta terça-feira 3.44 milhões de casos da Covid-19 e 439 mil mortes.



Compartilhe