Esporte

CSA empata com o Brasil de Pelotas e deixa G4


Redação
Fonte: GazetaWeb

23/01/2021 13h20

Na noite desta sexta (22), o CSA não conseguiu a tão sonhada volta à Série A. Jogando no Rei Pelé, em Maceió, pela 37ª rodada da Série B, com a presença ilustre da jogadora Marta, azulina de carteirinha, assistindo ao embate, o Azulão pouco fez para conseguir um bom resultado e acabou saindo de campo amargando o empate com sabor de derrota, por 1 a 1, após ter um gol mal anulado pelo assistente, nos acréscimos da segunda etapa. O gol do Brasil foi de Bruno José; já o CSA empatou com Rafinha.

O time azulino já tinha deixado o G-4, após a vitória do Juventude sobre o Figueirense, por 2 a 1, em partida realizada à tarde. Agora, com esta derrota para o Xavante, o CSA, 5º colocado, soma 57 pontos (o Juventude tem 58); enquanto o Brasil é o 11º colocado, com 49.

Na última rodada da Série B, que será toda realizada na próxima sexta (29), o Azulão se despede da competição deste ano enfrentando o Náutico, nos Aflitos, às 21h30. Já o Brasil vai encarar, no mesmo dia e horário, o Vitória-BA, no Bento Freitas, em Pelotas-RS. Detalhe: para conseguir o acesso à Série A, o CSA precisa vencer o Náutico e torcer por um tropeço do Juventude, que jogará fora de casa, contra o Guarani.

Como foi

A partida começou com o Brasil apertando a marcação e impedindo a saída de bola do CSA. Aos 8 minutos, o time azulino tentou com Nadson, que arriscou de fora da área, a bola desviou no zagueiro e foi pela linha de fundo. Aos 13 minutos o Brasil tentou: Matheusinho recebeu o passe na entrada da área do CSA, mas finalizou para fora.

Passando dos 20 minutos, o jogo ficou pobre tecnicamente. O CSA não tinha criatividade, errava muitos passes e nem parecia que queria a vitória para tentar o acesso à Série A. Com isso, o técnico Mozart gritava com o time, pedindo para avançar a marcação. E o Brasil também errava muitos passes.

Perto dos 35 minutos, o que se via do desempenho do CSA era de um time pobre efetivamente, lento e sem inspiração, aceitando as investidas do adversário. E eis que, como um castigo para os azulinos, aos 37 minutos veio o gol do Brasil, marcado por Bruno José, que já defendeu o Azulão, fazendo valer a lei do ex. Ele se livrou da marcação e bateu no canto esquerdo de Matheus Mendes: 1 a 0.

O árbitro decretou dois minutos de acréscimos e, aos 47 minutos, terminou o 1º tempo com: CSA 0x1 Brasil.

Na segunda etapa, o Brasil quase fez o segundo gol, logo aos 2 minutos. Matheus Oliveira recebeu a pelota livre e arriscou de fora da área, vendo a bola passar bem perto da trave. Aos 5 minutos, o Azulão perdeu uma oportunidade incrível. Pimpão cruzou, a bola passou por Yago, e Pedro Lucas finalizou, mas foi muito mal.

O CSA voltou mais ligado, marcando com mais agressividade. E eis que aos 10 minutos, fez o gol de empate. Rafinha cobrou a falta, a bola desviou em Pimpão e estufou a rede, no cantinho direito do goleiro Marcelo. Tudo igual no Rei Pelé: 1 a 1.

Aos 14min, em busca do segundo gol, o CSA tentou, quando Gabriel fez o cruzamento, Pedro Lucas ajeitou de cabeça, mas não encontrou ninguém do Azulão. Em outra tentativa, aos 21’, Nadson cobrou uma falta, mas Pedro Lucas finalizou mal.

O técnico azulino promoveu mais mudanças no time, na esperança de vê-lo chegar ao segundo gol. Aos 30’ e aos 32’ cada um dos times tentaram. Primeiro foi o Azulão, quando Pedro Júnior foi lançado, mas o assistente marcou o lance de impedimento. Em seguida, foi a vez do Xavante, com Jarro Pedroso (ex-CSA), que avançou livre, mas desperdiçou uma boa oportunidade.

Aos 36 minutos, o Brasil quase fez o segundo tento. Felipe Albuquerque bateu o escanteio, Diego Ivo cabeceou com veneno, mas a bola bateu no travessão, para alívio do CSA. Outra boa chance se deu aos 43 minutos. Norberto mandou a pelota para a área do CSA e quase surpreendeu o goleiro Marcelo, mas ela foi para fora.

O Azulão ainda fez o gol da virada, aos 48 min, com Pedro Júnior, mas o assistente marcou um impedimento inexistente e anulou o gol.A partida foi encerrada só aos 53 minutos, com o empate de 1 a 1.

 



Compartilhe