Geral

Setores da educação discutem o retorno das aulas presenciais em AL


Fonte: Agência Alagoas

09/09/2020 15h40

O retorno das aulas presencias na rede pública alagoana tem gerado bastante discussão, e por conta disso, a Secretaria de Estado da Educação (Seduc), juntamente com a União Nacional dos Dirigentes Municipais de Educação de Alagoas (Undime/AL), permanecem em diálogo em busca de uma solução que abranja a todos da comunidade escolar. Na terça-feira (08), através de mais uma reunião virtual, foi apresentado o Levantamento Internacional de Retomada das Aulas Presenciais, realizado pela consultoria técnica Vozes da Educação.


A reunião teve a presença dos gestores municipais da educação, representantes da Undime/AL, gerentes regionais da educação, técnicos da Seduc, e a secretária de Estado da Educação, Laura Souza. Carolina Campos, ex-secretária municipal de educação de Gravatá/PE, atualmente pesquisadora do Centro de Políticas Educacionais do Teachers College e fundadora do Vozes da Educação, foi a responsável pela apresentação do levantamento.


A pesquisa foi feita em âmbito internacional, com dados de 20 países sobre o retorno das aulas presenciais, tendo sido elaborada com o intuito de promover a discussão sobre a reabertura das escolas brasileiras, através das experiências de outros lugares. O estudo envolve países que possuem semelhanças com o Brasil, seja no aspecto econômico, geográfico, populacional ou social, abordando a volta das aulas presenciais e seus impactos.


Os 20 países foram escolhidos em consideração aos casos que obtiveram sucesso no âmbito da Educação Básica, sobre a atuação no controle da pandemia, questões geográficas e geopolíticas e a disponibilidade de informação.


“A pesquisa contou com países de todos os continentes, que vão muito bem no PISA, países que se destacam da educação mundial, que foram muito bem no enfrentamento ao coronavírus. Observamos como trabalharam e fizemos essa análise”, explica Carolina.


Os países com resultados positivos na abertura, trazem consigo medidas sanitárias como a higienização da escola, distanciamento social, uso obrigatório de máscaras, diminuição do número de alunos por sala e horários alternados de entre e saída.


No estado de Alagoas já foi elaborado o protocolo de retomada da Rede Estadual de Ensino, porém a Seduc segue em diálogo com os setores da comunidade escolar (gestores escolares, professores, secretarias municipais da educação, pais e alunos), população, fiscalização e orgãos de saúde, buscando identificar as melhores soluções para o retorno seguro das atividades.


“Mais importante que a decisão de abrir ou não é entender o contexto onde as redes estão inseridas. Seguimos dialogando com as instituições e precisamos ter serenidade, pois a retomada das aulas presenciais é uma decisão que deve levar em conta a realidade de cada escola, identificando as medidas mais eficientes para manter a segurança dos alunos, professores e funcionários. Também se faz importante o diálogo com a comunidade e, para isso, contamos com o apoio dos gestores escolares e dirigentes municipais", comentou a secretária Laura Souza.


“Em Alagoas, nós vamos aguardar as decisões do Estado. Defendemos que o retorno das aulas seja feito observando a realidade de cada município. Nos próximos dias, vamos saber o cenário sanitário que vai dizer se vamos poder avançar ou não”, complementou a secretária de Educação de Maceió, Ana Dayse Dórea, que, na ocasião, representou a Undime/AL.

 



Compartilhe