Geral

Empresas de ônibus consideram possível paralisação ilegal


Redação
Fonte: Gazeta Web

14/01/2021 07h15

Após os rodoviários de Maceió anunciarem uma possível greve geral, o Sindicato das Empresas de Transporte Urbano de Passageiros de Maceió (Sinturb) informou que enxerga a greve como ilegal em um período delicado para as empresas.

Em nota, o Sinturb explica que os empresários têm comunicado aos rodoviários que, devido à pandemia e à queda no número de passageiros, as empresas têm acumulado prejuízos. "Em 2020 as empresas perderam em média mais de 50% dos passageiros. Mas mesmo diante de tantos prejuízos, as empresas vêm fazendo esforços para honrar com todos os compromissos com os trabalhadores e está em dia com os pagamentos dos rodoviários, bem como benefícios como plano de saúde e ticket alimentação", destacou o sindicato.

No entanto, de acordo com o Sinturb, a situação ficou mais grave com o fim do programa do Governo Federal que garantiu auxilio as empresas nos últimos meses. "Em todas as convenções coletivas realizadas até 2019, os rodoviários conseguiram ganhos reais acima da inflação Uma possível paralisação trará ainda mais prejuízos para a população que depende diariamente do transporte público", pontuou o sindicato.

Os empresários informaram que não concordam com a possível paralisação e irão tomar as medidas necessárias para que o transporte de Maceió não pare.

Rodoviários

Os rodoviários de Maceió anunciaram que, devido a negativa das empresas em conceder reajuste salarial e o anúncio da retirada do pagamento do ticket alimentação e do plano de saúde, deveriam decretar greve geral nos próximos dias. 

De acordo com o presidente do Sindicato dos Trabalhadores em Transportes Rodoviários no Estado de Alagoas (Sinttro/AL), Sandro Reges, a diretoria do sindicato deve ir às garagens das empresas permissionárias de transporte público de Maceió nesta quinta-feira (14) para comunicar aos rodoviários a situação.



Compartilhe