Geral

Denúncia: a farra dos fura-filas da vacina em Maceió


Redação
Fonte: Jornal de Alagoas

25/03/2021 18h18

Membros do Conselho Municipal de Saúde de Maceió furaram fila na vacinação contra covid-19, penalizando idosos e profissionais que estão trabalhando na linha de ferente de enfrentamento à doença. A denúncia foi realizada por um Conselheiro Estadual de Saúde, que afirma que os conselheiros vacinados não são nem do grupo prioritário nem estão enquadrados nas faixas etárias para a imuninização na capital. 

De acordo com o cientista político José Cláudio Vital, que é membro do Conselho Estadual de Saúde há quatro anos, o órgão que deveria fiscalizar e dar exemplo à sociedade civil foi o primeiro a furar a fila da vacinação em Maceió. "Estou indgnado com a postura e atitude antiética do Conselho Municipal de Saúde. Vejo os representantes que deveriam fiscalizar e foram beneficiados ao tomar a vacina. Eles não têm idade, não estão na linha de frente e foram privilegiados, enquanto acamados e idosos estão aguardando sua vez na vacinação", afirma Vital. 

O conselheiro explica que já fez um pedido formal, entregue na quarta-feira (24), ao secretário Municipal de Saúde, Pedro Madeiro, para que informe oficialmente os dados com nomes de todos os conselheiros que tiveram acesso à primeira dose da vacina, a data que tomaram, como tomaram e o motivo da liberação dos imunizantes para eles. "Essa atitude imoral do conselho passou também pela Secretaria Municipal de Saúde, porque deixaram isso acontecer. Fez com que pessoas que poderiam ter tomado essa vacina ficassem sem o imunizante. Então ele [Pedro Madeiro] também é responsável por isso. Se eles que deveriam fiscalizar fazem isso, imagina os demais", ressalta o conselheiro.  

Ele ainda está aguardando que a Secretaria Municipal de Saúde envie todas as informações sobre os conselheiros que receberam a vacina e, também, da Coordenação Nacional de Imunização que terá que declarar quem recebeu a vacina. Após isso, todos os documentos serão levados ao Ministério Público Federal. 

"Um dos conselheiros posou para foto e publicou em suas redes sociais. Agora, viram que tiraram a vacina de quem deveria ser realmente beneficiado e retiraram a foto das redes sociais. Fui até a Secretaria Municipal de Saúde e disseram que os conselheiros realmente tomaram a vacina. Eles são do corpo técnico que dá suporte ao Conselho Municipal e confirmaram que [os conselheiros] tomaram a vacina. Aguardo a oficialização de todas essas informações. Essa atitude antiética deve ser apurada e punida", conta José Vital. 

Mais fura filas?

De acordo com o membro do Conselho Estadual, o secretário de Estado da Saúde, Alexandre Ayres, não liberou a vacinação para que os conselheiros estaduais entrassem no plano de imunização. "Nenhum [conselheiro] está visitando os hospitais. Todas as reuniões estão sendo online, em nenhum momento eles estão indo para a linha de frente. Nem no Conselho Nacional, nem Estadual, nem Municipal. Isso foi imoral. Hoje em Maceió as famílias e os idosos precisam esperar sua faixa estária para tomar a vacina. Agora os que furaram fila já devem tomar sua 2ª dose", ressalta Vital. 

De acordo com o Plano Estadual de Operacionalização da Vacinação contra a Covid-19, na fase que Maceió se encontra na vacinação, estão contemplados trabalhadores da saúde que atuam em espaços e estabelecimentos de assistência e vigilância à saúde, sejam hospitais, clínicas, ambulatórios e laboratórios, dentre outros. 

Dentro desse grupo estão tanto os profissionais de saúde quanto seus respectivos técnicos e auxiliares, a exemplo de médicos, enfermeiros, nutricionistas, fisioterapeutas, terapeutas ocupacionais, biólogos, biomédicos, farmacêuticos, odontólogos, fonoaudiólogos, psicólogos, assistentes sociais, profissionais da educação física e médicos veterinários. 

Também devem ser contemplados os trabalhadores de apoio dos serviços de saúde, tais como recepcionistas, seguranças, trabalhadores da limpeza, cozinheiros, auxiliares e motoristas de ambulância, dentre outros. No domingo (21), Maceió ampliou a imunização para trabalhadores de saúde com 50 anos ou mais.

A equipe do Jornal de Alagoas entrou em contato com a Secretaria Municipal de Saúde para se posicionar sobre a denúncia, mas até momento não obteve resposta. 

Conselheiro aguarda que Secretaria Municipal de Saúde envie todas as informações de quem recebeu a vacina
Um dos conselheiros municipais recebendo a imunização (foto enviada pelo denunciante)


Compartilhe