Geral

AL amplia vacinação contra Covid para seis novos grupos


Redação
Fonte: Agência Alagoas

04/05/2021 18h20

Após a chegada de mais vacinas contra o novo coronavírus, Alagoas ampliou a campanha de imunização para seis novos grupos prioritários definidos pelo Ministério da Saúde, além de baixar a idade mínima para vacinação dos portadores de comorbidades para 45 anos. No Plano Nacional de Vacinação Contra a Covid-19 (baixe aqui), o Governo Federal estabelece a ordem de imunização dos grupos da população considerados prioritários.

O Plano Nacional também apresenta critérios de priorização dentro de cada um desses grupos, para vacinação escalonada por idade ou por condição de saúde, "por conta de não dispor de doses de vacinas imediatas para vacinar todos os grupos em etapa única", conforme diz o documento. De acordo com o Plano, após a vacinação das pessoas com mais de 60 anos de idade, dos trabalhadores da saúde, e dos povos indígenas, quilombolas e ribeirinhos, devem ser imunizados:

  • Portadores de comorbidades;
  • Gestantes e puérperas;
  • Pessoas com deficiência permanente;
  • Pessoas em situação de rua;
  • População privada de liberdade;
  • Funcionários do Sistema de Privação de Liberdade (sistema prisional)
  • Trabalhadores da Educação do Ensino Básico (creche, pré-escolas, ensino fundamental, ensino médio, profissionalizantes e Educação de Jovens e Adultos – EJA)

Esses grupos foram inseridos, nesta segunda-feira (3), na Campanha Estadual de Vacinação de Alagoas, após a chegada de uma nova remessa de 99.750 doses da vacina AstraZeneca. 

Em vídeo nas redes sociais, o governador Renan Filho destacou que os grupos foram definidos pelo Ministério da Saúde. “Vacinar os presos e profissionais do sistema prisional é preconizado na Campanha Nacional de Vacinação e nós temos que vacinar a todos, sim, até porque quem está recluso de liberdade está sob a tutela do Estado. Essas pessoas também precisam ser vacinadas”, ressaltou. “Mas nós vamos seguir com a vacinação de toda a população e seguir com Alagoas dando exemplo de vacinação ao Brasil”.

 

 



Compartilhe